Red Bull vs. Mercedes: o caldo está entornado e o GP da Hungria ainda nem começou

  • Redação Autoportal
  • 28 jul, 03:32
Max Verstappen e Lewis Hamilton (Lusa)
Max Verstappen e Lewis Hamilton (Lusa)

As duas equipas estão convocadas pela F1 para mais uma ronda deste duelo

A luta entre Max Verstappen e Lewis Hamilton pelo título Mundial da Fórmula 1 neste ano já estava quente antes do GP da Grã-Bretanha e, após o desfecho de Silverstone, com o inglês a vencer depois de um choque com o líder do campeonato, ficou em brasa.

Red Bull e Mercedes defenderam os seus pilotos como puderam num duelo que é global entre tudo o que envolve as duas equipas e já se sabia, por efeitos do calendário, que a próxima disputa estava marcada para o próximo fim de semana. O que não se sabia era que o GP da Hungria já ia começar a ser disputado ainda antes de se sair para pista.

PUB

O acidente em Silverstone foi fortíssimo para Verstappen e o holandês teve mesmo de passar pelo hospital para se certificar de que estava tudo bem com ele enquanto, na pista, Hamilton vencia a corrida. A Red Bull caiu em cima do campeão do mundo e Christian Horner – diretor da equipa austríaca –, em declarações ao «Channel 4» citadas pelo site da F1, condenou como uma manobra “suja” a condução do inglês num choque que levou o seu piloto a sofrer um impacto de 51G.

PUB

“Acho que foi uma manobra desesperada. Ele [Hamilton] não conseguiu a ultrapassagem na primeira parte da volta e depois foi simplesmente uma manobra desesperada de meter uma roda no interior, o que simplesmente não se faz. Copse é uma das curvas mais rápidas do mundo. Não se mete uma roda no interior. Isso é apenas condução suja.”

Hamilton acabou a vencer a corrida em casa e não poupou nos festejos quando saiu co carro. Verstappen não gostou da festa em pista quando ainda estava no hospital e fez questão de dizê-lo com adjetivos de desrespeito e falta de desportivismo.

PUB

“Contente por estar bem. Muito desiludido por ter sido atirado para fora assim. A penalização dada [10 segundos na box] não os ajuda e não faz justiça à perigosa manobra que o Lewis fez em pista. Ver os festejos enquanto ainda no hospital é um comportamento desrespeitoso e antidesportivo, mas seguimos em frente.”

O diretor da Mercedes também saiu em defesa do seu piloto e Toto Wolff afirmou “em relação ao incidente” que “é sempre preciso dois para dançar o tango" e que os dois “não cedem um centímetro” ao outro. Hamilton também não ficou calado e garantiu que não se deixará “pressionar” para ser menos agressivo afirmando que Verstappen se “atravessou” à sua frente acontecendo a colisão.

PUB

“Eu não tenho qualquer problema. Não sei o que vamos dizer, é continuar a disputa, vamos continuar ao ataque [e] é preciso haver respeito na pista. Mas se não houver, acho que isto vai acontecer mais vezes. e eu vou dar o meu máximo para me manter o mais limpo possível.”

As palavras de Hamilton veiculadas já a meio da semana passada não ficaram sem resposta da Red Bull. E neste bate-bota também seguido pelo site da F1, Horner avaliou primeiro os estragos no RB16B de Verstapppen em 1,8 milhões de dólares (cerca de 1,5 milhões de euros) para, depois, responder em concreto na sua coluna ao tema levantado pelo inglês.

“O agressivo estreante na F1 de 17 anos Max Verstappen a que Hamilton se refere não é o Max Verstappen de hoje, assim como Hamilton não é o mesmo piloto que era quando começou neste desporto."

PUB

A colocar mais sal neste prato servido pela F1 e na questão geracional, Nico Rosberg, antigo campeão do mundo quando companheiro de equipa de Hamilton em 2016 e atual comentador da «Sky», frisou para a estação que esta não foi a primeira vez que os carros de ambos chocaram para concluir que este “incidente de corrida” não será o último.

PUB

“É claro que se pode colocar mais culpa num ou noutro, mas, no final, é a batalha de gerações: cada um deles não dará ao outro nem um centímetro e já vimos isso em corridas anteriores.”

O GP da Hungria está a chegar e não podia estar mais quente do que isto. Ou podia? Pois bem, ainda nesta quarta-feira, a F1 informou que a Red Bull apresentou uma “petição para revisão” da penalização de 10 segundos aplicada a Hamilton no GP da Grã-Bretanha. Enquanto os carros aguardam para sair para o Hungaroring na sexta-feira, Mercedes e Red Bull vão continuar o duelo já nesta para depois de terem sido convocadas para comparecerem via conferência vídeo perante o organizador do campeonato.

Continuar a ler

RELACIONADOS

Hamilton ganha em Silvertsone depois de choque com Verstappen na primeira volta

Verstappen vs. Hamilton: as diferenças que se vê em relação a 2020

F1: Hamilton fica na Mercedes até 2023

COMPUTADOR DE BORDO

Tem a certeza de que faz o transporte de crianças como deve ser?

Detetores de radar de velocidade à venda na internet. Legais ou ilegais?

Governo alega “questões técnicas”: veículos elétricos sem direito a descontos nas SCUT

VEJA MAIS

MAIS LIDAS