Miguel Oliveira: “Ainda há 125 pontos em jogo”

  • Redação Autoportal
Miguel Oliveira (imagem KTM Ajo)
Miguel Oliveira (imagem KTM Ajo)

Miguel Oliveira não conseguiu chegar mais longe do que o sétimo lugar no GP de Aragão de Moto2 deste domingo e o piloto português apontou que, ao partir da cauda do pelotão, foi perdendo tempo com as ultrapassagens a fazer voltando a lamentar a Qualificação da véspera.

“Dei tudo o que tinha, mas foi uma corrida um pouco traiçoeira por ter de começar da sexta linha [da grelha]. Consegui andar depressa e o meu andamento foi muito semelhante ao do meu companheiro de equipa, Brad Binder, mas quando tentei ultrapassar os outros pilotos perdi alguns décimos. Sinto-me mal porque na qualificação a minha melhor volta foi anulada fazendo-me perder tempo hoje no começo, mas este é o preço que se paga quando se está tão atrás. Isto é algo que vamos trabalhar e melhorar.”

O piloto português ficou depois deste domingo com 19 pontos de desvantagem para Francesco Bagnaia na luta pelo título mundial de Moto2, mas Miguel Oliveira está motivado em conseguir os pontos suficientes nas cinco corridas que faltam.

“Tenho os olhos postos nas próximas rodas [fora da Europa] e em obter o máximo possível de pontos: ainda há 125 em jogo e vamos tentar arrebatar tantos quanto pudermos. O trabalho vai começar amanhã, aqui mesmo em Aragão, com um dia de testes. Vamos dar tudo o que temos para melhorar e encontrar algo que nos dê mais segurança na moto, que possamos aplicar nas próximas corridas.”

Comentários

Veja mais