GP do Qatar: Miguel Oliveira vai à Q1 com todas as KTM

  • Redação Autoportal
  • 27 mar, 13:22
Miguel Oliveira (Red Bull Content Pool)
Miguel Oliveira (Red Bull Content Pool)

Piloto português da KTM terminou a terceira sessão de treinos livres com o 10.º melhor tempo

Miguel Oliveira terminou a terceira sessão de Treinos Livres para o GP do Qatar, prova de abertura da temporada de MotoGP com o 10.º tempo, voltando a revelar as dificuldades que afetaram o piloto da KTM na sexta-feira.

Numa sessão marcada por temperaturas mais elevadas, nenhum piloto consegui melhorar o tempo alcançado na segunda sessão de Treinos Livres, com Miguel Oliveira a rodar na sua melhor volta em 1m55.2611s, o que acabou por ser insuficiente para garantir um lugar direto na segunda sessão de Qualificação, tendo terminado a 0.585s de Franco Morbidelli (SRT Yamaha) que foi o mais rápido da terceira sessão de Treinos Livres.

PUB

Aleix Espargaró (Aprilia), foi o segundo mais rápido dos TL3, a 0.165s de Quartararo, e na frente de Luca Marini (Esponsorama), que foi terceiro a 0.179s do topo da folha de tempos.

Na classificação combinada após três sessões de Treinos Livres, Oliveira manteve o a 19.ª posição alcançada na sexta-feira, a 1.369s de Jack Miller (Ducati), que continua a ser o piloto mais rápido no circuito de Losail.

PUB

Tempos combinados após os TL3 do GP do Qatar:

Miguel Oliveira e os restantes pilotos de MotoGP, regressam mais logo à pista de Losail para a quarta e última sessão de Treinos Livres e para a sessão de Qualificação.

Continuar a ler

RELACIONADOS

Miguel Oliveira começa o GP do Qatar com “dificuldades” na afinação da moto

GP do Qatar: Oliveira melhora tempo e Miller é o mais rápido do primeiro dia

GP do Qatar: Miguel Oliveira começa no top 10 em Losail

Começam o MotoGP e a F1: os horários do primeiro grande fim de semana do ano

COMPUTADOR DE BORDO

Saiba como deve circular em rotundas de forma correta

Fique a saber como são as novas cartas de condução

Descontos nas portagens das ex-Scut de Algarve e Interior vão até aos 55%

VEJA MAIS

MAIS LIDAS