Miguel Oliveira: “Ainda não extraímos o máximo que temos”

  • Redação Autoportal
Miguel Oliveira (Lusa)
Miguel Oliveira (Lusa)
Português ficou colado aos pilotos da equipa oficial KTM

Miguel Oliveira mostrou-se satisfeito com o resultado dos testes de três dias realizados em Sepang, que abriram a pré-época do MotoGP e terminaram nesta sexta-feira.

O piloto português destaca que a Tech3 KTM está a evoluir passo ante passo e , por, isso, acredita também que o potencial máximo de resultados ainda não foi atingido, como referiu no site da sua equipa.

“O tempo da volta foi ‘ok’. Não foi tão rápido como esperava porque não consegui juntar a melhor configuração da moto com os melhores pneus no melhor momento, mas, em todo o caso, estou muito perto dos dois pilotos da KTM de fábrica, mais perto do que todos esperavam. Acho que este é o ponto mais positivo destes dias.”

“Fomos muito competitivos com pneus usados, o que é bom para a corrida. Nesta fase, consigo ver um claro passo em frente, mas ainda sinto que não extraímos o máximo do que temos, por isso, vai ver-se nos testes do Qatar, colher as experiências destes três dias e tentar dar mais outro passo.”

Em declarações recolhidas pela Lusa, Miguel Oliveira fez o resumo dos três dias frisando a proximidade que conseguiu ter em relação aos pilotos da equipa oficial da KTM:

“No geral, foi um bom teste. O meu alvo era a melhor das KTM e terminámos a três décimas do [Johann] Zarco, que leva três anos em MotoGP. O Pol [Espargaró] tem ainda mais e já conta três anos na KTM. Sinto que me adaptei bem à mota e que trabalhei bem com a equipa."

  • TEMAS:
  • Miguel Oliveira

  • MotoGP

  • Testes Sepang

Veja mais