Miguel Oliveira responde aos leitores (parte II): “Eu quebrei as fronteiras e espero mais pilotos portugueses no Mundial”

  • Redação Autoportal
Miguel Oliveira (KTM)
Miguel Oliveira (KTM)
Os fãs perguntaram e o primeiro piloto português no MotoGP responde-lhes

Lançámos o desafio aos nossos leitores para fazerem uma pergunta a Miguel Oliveira e ao piloto da Tech3 KTM para responder-lhes. A conclusão desta entrevista chega agora com as respostas daquele que é o primeiro piloto português no MotoGP.

Escolhemos as questões que avaliámos como mais pertinentes, originais, interessantes dentro de um leque que atingiu várias dezenas – por isso voltamos a agradecer aos leitores e ao (nosso e, especialmente, deles) entrevistado.

Recebemos perguntas de variadas faixas etárias, de leitores ambos os sexos, do Continente e das Ilhas e também do estrageiro. E não quisemos interferir no tratamento «por tu» com que a maioria se dirige a um ídolo de quem se mostra sentir muito próxima...

Algumas das perguntas repetiam-se e tomámos por critério de preferência as que nos chegaram primeiro. Publicamos agora a segunda e última parte de questões e das respostas de Miguel Oliveira (feitas, refira-se, antes da segunda ronda de destes do MotoGP no Qatar).

Pedro Santos, 21 anos, Vila Nova de Gaia

Quem na tua opinião tem mais probabilidade de ser campeão do MotoGP nesta época?

Todos têm probabilidade, o Marc Marquez demonstra ter mais probabilidade.

Abel Pinto, 44 anos, Maia

Se tivesses oportunidade, qual das outras marcas gostarias de experimentar e porquê?

Neste momento estou contente com a minha KTM que muito me tem proporcionado à minha carreira.

Diogo Mota, 35 anos, Porto

Para quando um capacete personalizado criando uma imagem de marca?

A Shark já comercializa as minhas réplicas no mercado.

Luís Rolão, 48 anos, Alverca do Ribatejo

Além da tua contribuição com a "Oliveira Cup", que outro tipo de iniciativas poderiam ser colocadas em prática para termos no futuro mais pilotos portugueses a disputar as categorias Moto3/2/GP?

Correr na Oliveira CUP, mentes abertas, pais que estejam dispostos a quebrar fronteiras e mitos, persistência, determinação e vontade de vencer.

Daniel, 35 anos, Bruxelas (Bélgica)

Qual é a sensação de ver a nossa bandeira portuguesa nas pistas por onde vai pilotar?

É indescritível. Quero salientar e demonstrar a minha gratidão a todos os portugueses que me apoiam nos circuitos. Vocês juntos fazem um apoio incrível e juntos demonstramos que Portugal apesar de pequeno em tamanho é enorme em demonstrar que somos grandes! Obrigado!

José Araújo, 43 anos, Gondomar

Será expectável mais pilotos lusos a chegar ao mundial em breve?

Espero que sim. Eu quebrei as fronteiras e estou a fazer para que o caminho dos portugueses seja mais direto. Não mais fácil! Pois o que é fácil na vida não tem valor.

Mário Oliveira, 35 anos, Penafiel

Logo que puderes vais voltar ao número 44?

Penso que não. Apenas mudarei para o número 1 se tiver quando vencer o titulo.

Luís Machado, 30 anos, Guimarães

Que Grande Prémio (Europa) aconselharias a um fã de MotoGP que nunca viu uma corrida ao vivo?

Jerez de la Frontera ou Áustria. São circuitos com locais fantásticos para ver a corrida e com um ambiente ainda melhor.

VEJA TAMBÉM:

Miguel Oliveira responde aos leitores (parte I): “Estou preparado para pontuar o máximo possível”

  • TEMAS:
  • Miguel Oliveira

  • Perguntas

  • Leitores

Veja mais