9X8 vai competir nas 24 Horas de Le Mans para devolver a glória à Peugeot

  • Redação Autoportal
  • 7 set, 09:55

Construtor francês aposta na motorização híbrida e na tração integral para voltar ao sucesso numa categoria onde já conheceu a glória

Depois do sucesso alcançado com o 905 no início da década de 1990, a Peugeot está novamente apostada em fazer história no Campeonato do Mundo de Resistência e nas 24 Horas de Le Mans, desta vez com um modelo híbrido.

Numa altura em que a indústria fervilha com o desenvolvimento de automóveis com motorização híbrida ou totalmente elétricos, o desporto automóvel é também, naturalmente, palco desta tendência de mercado. Pode até servir como um ótimo ecossistema para o desenvolvimento de novas tecnologias a aplicar nos automóveis comuns. Pelo menos assim pensa a Peugeot.

PUB

Tendo como enquadramento os novos regulamentos do Campeonato do Mundo de Resistência, o construtor francês quer regressar em grande a uma categoria na qual já foi muito feliz. O novo 9X8 é o herdeiro do legado deixado pelo 905, que em 1992, um ano apenas após a sua apresentação, conseguia terminar 2º em Monza, 1º e 3º em Le Mans, 1º e 2º em Donington, 1º e 3º em Suzuka, 1º, 2º e 5º em Magny-Cours. Uma época lendária para a marca do leão, coroada com o título do Campeonato do Mundo de Construtores. O 905 montava então um motor V10 de 3,5 litros, 40 válvulas, com 650 cv, muito próximo das especificações da Fórmula 1.

PUB

Apesar da glória obtida, o V10 já é passado: o caminho agora faz-se com uma motorização híbrida. Produzido para competir na recém-criada categoria Hypercar (que substitui a LMP1), o novo 9X8 combina um motor V6 a gasolina, a debitar 680 cv para as rodas traseiras, com uma unidade elétrica, capaz de passar 270 cv para as rodas dianteiras. Desta forma, a nova máquina concebida pelos engenheiros da Peugeot Sport adota a tração integral (daí o “X”), beneficiando das alterações aos regulamentos, que apenas a permitem em automóveis híbridos.

PUB

Talvez ainda mais marcante neste 9X8 seja a ausência da asa traseira, que tão bem caracteriza os protótipos dos campeonatos de resistência. Uma conquista ao nível da aerodinâmica que está a deixar os responsáveis do departamento desportivo do construtor francês muito orgulhosos e até “vaidosos”. Trata-se de um segredo que, dizem, pretendem manter durante o maior tempo possível. Veremos se outros Hypercar seguirão a mesma linha.

Continuar a ler

RELACIONADOS

Peugeot mostra o 9X8 Hypercar (Inclui galeria de imagens)

COMPUTADOR DE BORDO

Tem a certeza de que faz o transporte de crianças como deve ser?

Detetores de radar de velocidade à venda na internet. Legais ou ilegais?

Governo alega “questões técnicas”: veículos elétricos sem direito a descontos nas SCUT

VEJA MAIS

MAIS LIDAS