F1: Toto Wolff pede fim às provocações

Toto Wolff - Mercedes
Toto Wolff - Mercedes
Chefe da Mercedes avisa que ameaças da Ferrari são para serem levadas a sério

Sergio Marchionne já avisou que a Ferrari não faz bluff e que se os regulamentos da F1 não corresponderem às expetativas, até 2020, a Scuderia faz-se…à estrada.

Ameaças que devem ser levadas a sério, segundo Toto Wolff. O chefe da Mercedes apela ao discernimento do grupo Liberty Media e aconselha os novos donos da F1 a “pararem de provocar a Ferrari”.

“Marchionne deve ser levado a sério. Estou tranquilo, porque a Ferrari é a F1 e a F1 é a Ferrari. Mas, se eu fosse os novos promotores da F1, o grupo Liberty Media, eu não continuaria a provocar Marchionne com sugestões inaceitáveis ou mudanças que não têm sentido”, defendeu.

“A F1 deve permanecer com as estruturas básicas. Temos de melhorá-las e adaptar-nos a um novo ambiente dos media. Mas precisamos de evolução, e não de uma revolução ingénua”, concluiu.

  • TEMAS:
  • Fórmula 1

  • Sergio Marchionne

  • Toto Wolff

Veja mais