Várias cidades europeias proíbem carros no centro em prol da sustentabilidade

Liubliana sem carros
Liubliana sem carros

Liubliana, na Eslovénia, proibiu a utilização de carros no centro e tornou-se mais amiga do ambiente, dos habitantes e dos turistas

Imagina uma cidade sem carros. Ruas em que as pessoas andam a pé ou de bicicleta e em que os transportes públicos garantem a mobilidade de todos. Para muitos, imaginar uma cidade assim é por um lado um sonho, mas por outro um pesadelo. 

Com a necessidade de se reduzir substancialmente as emissões de CO2 por todo o mundo, muitos acreditam que proibir os carros em algumas zonas será a solução para melhorar a qualidade do ar. Para provar que é possível, várias têm sido as cidades que têm controlado o tráfego em algumas das suas ruas.

PUB

A capital da Eslovénia, Liubliana, tem um centro sem carros há quase 15 anos, uma alteração drástica e até assustadora que representou uma mudança (muito) positiva.

Em 2007, criaram a Visão 2025, uma proposta que incluía várias medidas para tornar a cidade mais verde, limpa e, claro, mais sustentável. Entre as várias mudanças, vinha a proibição de carros no centro da cidade.

A mudança não foi bem aceite. Quem morava no centro, assustou-se com a possibilidade de não conseguir mover-se com facilidade sem o carro. Na altura, o presidente da câmara ouviu as queixas, mas manteve a postura. Criaram-se vias para ciclistas e a oferta de transportes públicos foi melhorada.

PUB

Na Visão 2025, vinha também o compromisso de acabar com o trânsito numa das mais movimentadas ruas de Liubliana, a Slovenska Cesta que atravessava o centro turístico. A artéria da cidade era, desde 1993, protegida como sendo monumento do património cultural e nacional e tinha um papel central na vida diária dos habitantes.

PUB

Foi assim que nasceu a Kavalir (que significa “ajudante gentil”), uma frota elétrica de carros de utilização gratuita que pode circular no centro. Estes veículos, semelhantes a tuk-tuk, atingem a velocidade de 25 km/h e foram pensados especialmente para pessoas com dificuldades de mobilidade, idosos e visitantes.

Com estas mudanças, 12 hectares tornaram-se livres de carros e, em pouco tempo, as emissões de gases e a poluição sonora começaram a baixar significativamente. Os moradores habituaram-se a esta nova Liubliana.

Graças a estas mudanças, Liubliana foi considerada a Capital Verde da Europa em 2016 pela Comissão Europeia e já fez parte da lista de Top 100 Destinos Sustentáveis a nível mundial seis vezes.

PUB

Um pouco por toda a Europa e mesmo pelo mundo começam a surgir cidades que optam por proibir os carros ou limitar a utilização dos mesmos.

Oslo, na Suécia tem um centro praticamente sem carros. Ghent, na Bélgica, acabou com os carros em 1996 de forma a acabar com o trânsito persistente. Paris fecha muitas das ruas ao trânsito no primeiro domingo de cada mês.

Em Portugal, ainda não há planos para limitar os carros . No entanto, na altura das autárquicas, a organização Zero alertou para a importância de se criarem Zonas Zero Emissões (ZZE), onde apenas veículos sem emissões possam circular, no Porto e em Lisboa.

Continuar a ler

RELACIONADOS

CEO do Grupo Volkswagen incentiva a utilização da bicicleta

Trotinente elétrica: uma aliada da saúde mental e do planeta

Trotinetes partilhadas Link chegam a Cascais com novos sistemas de segurança

Prémio Gulbenkian para a Humanidade distingue Pacto Global de Cidades pelo Clima

COMPUTADOR DE BORDO

Tem a certeza de que faz o transporte de crianças como deve ser?

Detetores de radar de velocidade à venda na internet. Legais ou ilegais?

Governo alega “questões técnicas”: veículos elétricos sem direito a descontos nas SCUT