Mazda competiu com carro que usou combustível feito a partir de óleo de cozinha e microalgas

Mazda2 a biodiesel de nova geração
Mazda2 a biodiesel de nova geração

Marca japonesa integra a utilização de biodiesel de nova geração em motores de combustão na sua estratégia para atingir a neutralidade carbónica

A Mazda marcou presença na corrida “Super Taikyu Race”, que teve lugar no Circuito Internacional de Okayama, no Japão, com um automóvel equipado com motor diesel convencional (Skyactiv-D 1.5), alimentado com um biocombustível feito a partir de óleo de cozinha usado e gorduras de microalgas.

A iniciativa insere-se no projeto de cooperação que a Mazda está a desenvolver com outros construtores japoneses, que visa explorar novas formas de usar combustíveis verdes em motores de combustão.

PUB
Descobre aqui o projeto dos construtores japoneses
PUB

Os biodiesel de nova geração, como este usado pela Mazda na corrida de resistência, têm como principais vantagens o não competir com a tradicional cadeia de fornecimento de alimentos, ao contrário dos combustíveis de base biodiesel atualmente existentes no mercado, e a possibilidade de poderem ser usados como alternativa ao gasóleo à base de petróleo em veículos e equipamentos, sem que tal implique a realização de quaisquer modificações mecânicas.

Biocombustíveis, o que são?
PUB

Na prova realizada no circuito japonês de Okayama, o Mazda Demio (Mazda 2 na Europa) da equipa NOPRO percorreu com êxito as 94 voltas, estando equipado com o bloco diesel de 1,5 litros, ao qual não foi feita qualquer alteração para receber o novo combustível. Face aos positivos resultados obtidos, o construtor já fez saber que irá alinhar em todas as rondas do campeonato Super Taikyu Series em 2022 e que deverá continuar a usar o mesmo biodiesel de nova geração.

Mazda está focada na sustentabilidade
PUB

Como parte do seu compromisso para alcançar a neutralidade carbónica, a Mazda pretende expandir a sua gama de motores com a oferta aos consumidores de soluções híbridas, híbridas plug-in, elétricas e também de combustão com o uso de combustíveis renováveis. Nesse sentido, a marca está envolvida na iniciativa “Hiroshima ‘Your Green Fuel’ Project”, que se destina a popularizar e a divulgar a utilização de biocombustíveis de nova geração na cidade onde está sediada.

Continuar a ler

RELACIONADOS

Biocombustíveis de milho, sementes de uva e até insetos, são uma alternativa?

Cientistas estudam utilização de moscas na produção de combustível biodiesel

Lamborghini investe em biometano para acelerar descarbonização

Biocombustível de óleo vegetal pode ser solução mais sustentável para aviões

COMPUTADOR DE BORDO

Tem a certeza de que faz o transporte de crianças como deve ser?

Detetores de radar de velocidade à venda na internet. Legais ou ilegais?

Governo alega “questões técnicas”: veículos elétricos sem direito a descontos nas SCUT

VEJA MAIS

MAIS LIDAS