Ensaiámos a chegada do verão ao volante do Kia ProCeed Shooting Brake

  • Pedro Calhau
Kia ProCeed Shooting Brake 1.6 CRDi 7DCT GT Line
Versão testada foi a diesel de caixa automática 1.6 CRDi 7DCT GT Line

Na chegada do verão, recebemos a estação quente ao volante do Kia ProCeed Shooting Brake 1.6 CRDi 7DCT GT Line. O nome é extenso; as qualidades para desfrutar ‘a solo’ ou em família também se estendem por esta bonita carrinha coupé – cheia de estilo, mesmo – muito à altura de viagens típicas desta época: a pedirem prazer e eficiência na condução.

Comecemos pelo prazer.

Como ‘os olhos também comem’, o design inspirado desta shooting brake é logo um cartão de visita incontornável. Mais baixo e comprido do que os seus parentes das gamas Ceed hatckback e Sportswagon, as linhas desportivas deste carro de cinco portas que não é pequeno (1800 mm de largura, 4605 mm de comprimento, 1422 mm de altura – 135 mm acima do solo e uma distância entre eixos de 2650 mm) abrem portas a um interior confortável.

E também ele cheio de caráter desportivo, que vai desde os pedais em alumínio até ao volante em ‘D’, de série nesta versão de caixa automática 7DCT, com os comandos essenciais bem à mão. O alinhamento deste modelo pelo topo de gama do equipamento (GT Line) dá ao ProCeed qualidade no habitáculo desportivo (com teto de abrir panorâmico), que é espaçoso e confortável.

Os materiais são bons com destaque para os bancos (também desportivos) em pele e alcântara com bons apoios e ajuste elétrico. A disposição horizontal do tablier ligeiramente inclinado para o condutor é uma solução bem equilibrada à frente. Atrás, o conforto mantém-se se mais dois adultos decidirem entrar nesta viagem, aberta ainda a um quinto ocupante sem constrangimentos de maior...

Olhando da frente para trás pelo retrovisor é que não se pode esperar a melhor das visibilidades. E o ProCeed nem precisa de estar ocupado nos bancos traseiros. Estamos a falar de uma shooting brake e o design tem destes sacrifícios num veículo cujo vidro traseiro apresenta um ângulo de 62,4º em relação à vertical.

A bagageira de abertura elétrica com 594 litros de capacidade também perde (31 litros) para a Sportswagon, mas mantém os vários compartimentos para objetos mais pequenos, que dão especial jeito quando o carro não vai totalmente carregado.

Se está bem instalado, ligue o motor, pois, na condução, o Kia ProCeed funde o prazer com a eficiência.

O bloco 1.6 Litros diesel deste ProCeed com caixa automática de dupla embraiagem com sete velocidades (7DCT) dá-nos uma potência de 136 cv. O binário é de 320 Nm. A aceleração dos 0 aos 100 km/h, segundo os dados da marca, faz-se em 10.1s.

A condução da carrinha coupé da Kia é fácil, para além de confortável, aspetos aos quais não é alheia a suspensão (10 mm mais baixa do que os seus parentes Ceed) com afinação específica para a carroçaria shooting brake e o design do habitáculo na traseira – aquela traseira... E, mercê disto, a segurança em curva nota-se...

Com dois modos de condução à escolha – normal e sport – a opção mais desportiva deixa-nos o volante mais ‘pesado’ e o acelerador mais ‘imediato’, mas mantendo também as relações de caixa mais tempo nas acelerações fortes para se poder usufruir da potência. Os 136 cv deste ProCeed diesel não demoram a responder e o carro tem força quando se lhe pede.

Quando se quer uma condução ainda mais imediata, tem-se à disposição as patilhas do volante para selecionar as velocidades e ‘ultrapassar’ a gestão mais eficiente da caixa automática. Mas já se sabe, quando assim for, prepare-se para gastar um pouco mais, mesmo que as diferenças não vão por aí além...

Realizámos consumos na ordem dos 5 litros aos 100 Km fazendo uso da caixa automática em estrada sem levar a poupança no andamento ao máximo - registos que mantivemos em autoestrada dentro daqueles limites. A nossa média subiu acima dos 6 litros realizando uma condução mais interventiva fazendo uso das patilhas e no modo ‘sport’, desfrutando, mas não consumindo muito mais do que ‘esses 6’ rodando em autoestrada. Ao invés, deixando com a 7DCT a 'liberdade' para fazer uso de todo o seu potencial de baixos regimes, as médias descem para os patamares dos 4 litros - e na cidade não se quer outra coisa.

Entre o muito equipamento de assistência à condução que vem de série neste ProCeed 1.6 CRDi 7DCT GT Line, como o cruise control, os assistentes de prevenção de colisões frontais e de luzes de máximos, gostámos especialmente do Aviso de Atenção do Condutor e do Assistente de Manutenção na Faixa de Rodagem – inteligente na leitura das marcações e sensível na sua correção. A juntar a estes, a leitura da sinalização vertical na estrada não lhes fica atrás na competência.

Os faróis e luzes traseiras todos LED, a câmara traseira de estacionamento, ou os seis airbags (condutor e passageiro, laterais e de cortina) são outros componentes de equipamento que reforçam a segurança.

O reforço do conforto na condução pode voltar a ser referido com o sistema de som JBL com considerável potência – é uma pena a Kia ter abdicado do leitor de CD... – ou com a fácil navegação do sistema de infoentretenimento no ecrã tátil de 8”. Mas tenha-se atenção ao brilho do painel do condutor, pois a inclinação do Sol leva a uma regulação mais frequente do que desejável...

O verão acabará, até que chegue o próximo. Mas, sempre que olhar para trás, a afastar-se desta shooting brake abaixo dos 38 mil euros (esta em particular fica acima, com mais 400 euros a acrescentar pelas jantes de 18’’, em vez das de 17’’ de série), poderá também dizer sempre ‘o Kia Proceed tem mesmo pinta’.

  • TEMAS:
  • Kia

  • ProCeed

  • Shooting Brake

Veja mais