Mercado automóvel caiu 9,9 por cento em março

  • Redação Autoportal
Trânsito na A3 (Lusa/José Coelho)
Trânsito na A3 (Lusa/José Coelho)

O mercado automóvel registou o segundo mês de queda consecutiva, depois da subida registada no primeiro mês de 2019.

No mês de março de 2019 foram matriculados pelos representantes legais de marca a operar em Portugal 28.551 veículos automóveis, ou seja, menos 9,9 por cento do que em igual mês do ano anterior,  segundo dados revelados esta segunda-feira pela Associação Automóvel de Portugal (ACAP).

No primeiro trimestre de 2019, foram colocados em circulação 69.623 novos veículos, o que representou uma queda homóloga de 4,7 por cento.

Por categorias e tipos de veículos observou-se que no mês de março foram matriculados em Portugal 24.900 automóveis ligeiros de passageiros novos, ou seja, menos 10,7 por cento do que no mês homólogo do ano anterior. No primeiro trimestre de 2019 as matrículas de veículos ligeiros de passageiros totalizaram 59.445 unidades, o que se traduziu numa variação negativa de 5,9 por cento relativamente ao período homólogo de 2018.    

Já o mercado de ligeiros de mercadorias registou em março de 2019 uma evolução igualmente desfavorável, tendo sofrido uma contração de 7,1 por cento face ao mês homólogo do ano anterior, situando-se em 3.190 unidades matriculadas. Em termos acumulados, no período de janeiro a março de 2019 o mercado atingiu 8.726 unidades, o que representou um ligeiro acréscimo de 0,9 por cento face ao período homólogo do ano anterior.    

Quanto ao mercado de veículos pesados, tanto de passageiros como de mercadorias, e em cujo conceito estão englobados os tractores de mercadorias, verificou-se em março de 2019 um aumento de 27,3 por cento em relação ao mês homólogo do ano anterior, tendo sido comercializados 461 veículos desta categoria. No primeiro trimestre de 2019 o número de veículos matriculados ascendeu a 1.452 unidades, o que representou um acréscimo do mercado de 15,3 por cento relativamente ao período homólogo de 2018.

Veja mais