Prego a fundo no BMW M3 Competition no Autódromo do Estoril

Conduzir no Estoril é sempre uma ótima sensação. Mas quando o fazemos numa máquina com 510 cv, só podemos ficar em êxtase

Conduzir um BMW M3 Competition durante algumas voltas no Autódromo do Estoril, foi o ponto alto de uma série de experiências a que tivemos acesso, no âmbito de mais um BMW Ultimate Experience.

No evento anual organizado pela filial portuguesa da marca alemã, destinado a demonstrar as potencialidades de alguns dos seus modelos, começámos por tomar contacto com as mais recentes novidades de propulsão elétrica, como o IX e o i4. Subimos e descemos rampas de elevada inclinação, fizemos testes de aceleração e travagem e até um teste do alce. Mas o melhor estava guardado para o fim.

PUB

Sem dúvida que as inovações tecnológicas trazidas pelos modelos com motores elétricos são assinaláveis e que a BMW é uma marca com propostas muito fortes no que é considerado o futuro (se não o presente) da indústria automóvel, mas quando passamos para um carro com motor de combustão, criado para andar em circuito, a conversa é outra.

O M3 Competition está homologado para andar em estrada e pode ser adquirido por quem esteja disposto a desembolsar (no mínimo) 112.400 euros. Contudo, é na pista que este "monstro" equipado com um motor twin turbo de 6 cilindros em linha, de 3 litros, encontra o seu verdadeiro habitat e perante o convite para o conduzirmos no circuito do Estoril, obviamente não podíamos dizer que não.

PUB

Banco ajustado, espelhos regulados, cinto posto, ativado o modo Sport e a caixa automática de oito velocidades colocada na posição Drive. Ok, estamos prontos para arrancar.

Basta uma pequena aceleração à saída das boxes para nos deliciarmos com o som do motor, neste caso melhorado pelo sistema de escape M Performance em titânio, e para percebermos que vamos ter pela frente uns minutos bem passados. Mas atenção, que esta fera não é para brincadeiras.

PUB

Já não andava no Estoril há algum tempo, por isso as primeiras curvas são feitas em ritmo de reconhecimento. Não só ao circuito como, principalmente, ao comportamento deste M3 Competition com 510 cv de potência e 650 Nm de binário. Mas mesmo a um ritmo moderado, percebe-se que estamos perante uma máquina com um apetite voraz, que só pede que carreguemos no acelerador e a deixemos cavalgar o asfalto.

À entrada para a reta da meta o coração começa a palpitar, à medida que vou acelerando mais e mais. Que carro impressionante! E se a aceleração me causou arrepios (no bom sentido, claro), o que dizer da capacidade de travagem à entrada para a curva um.

PUB

A sensação de segurança está sempre lá. A aderência deste M3 Competition é notável e a cada curva que faço, sinto que as rodas traseiras e o chassis dão bem conta de toda a potência que é possível extrair do motor. Bem, “toda” é uma forma de dizer, já que depois de ter completado algumas voltas como condutor, foi a vez de passar para o banco do pendura e ser conduzido pelo piloto de testes Diogo Soares.

Mesmo sentindo-se mais à-vontade em ralis do que em circuitos, como me confessou, o madeirense de 26 anos mostrou-me que, quando se sabe, é sempre possível tirar mais deste desportivo de alma cheia.

Continuar a ler

COMPUTADOR DE BORDO

Tem a certeza de que faz o transporte de crianças como deve ser?

Detetores de radar de velocidade à venda na internet. Legais ou ilegais?

Governo alega “questões técnicas”: veículos elétricos sem direito a descontos nas SCUT

VEJA MAIS

MAIS LIDAS