Honda apresenta as novas CBR1000RR-R e SP Fireblade

  • Redação Autoportal
Nova geração da Fireblade chega em 2020
Novos modelos CBR1000RR e SP lideram o stand da Honda no Salão de Milão

A Honda aproveitou o Salão de Milão (EICMA), que decorre até ao próximo fim de semana, para revelar o novo capítulo na longa história da Fireblade.

O novo modelo que vai chegar ao mercado no próximo ano, surge completamente renovado a começar pelo motor de quatro cilindros em linha e 1.000 cm³, que foi projetado com a participação do programa de desenvolvimento da HRC para o MotoGP.

Assim este novo bloco da CBR1000RR-R Fireblade produz um pico de potência de 160Kw às 14.500rpm e um pico de binário de 113N·m às 12.500rpm.

Para além disso, o motor da RR-R partilha os mesmos cilindros 'sobrequadrados', com 81 mm diâmetro e curso de 48,5 mm do motor da RC213V de MotoGP – uma mudança radical em relação aos 76 x 55,1 mm do design anterior e do motor com o maior diâmetro de cilindros das motos tetracilíndricas em linha de 1.000 cm³. 

O sistema de acelerador Throttle-by-wire (TBW) foi igualmente melhorado e oferece agora respostas mais rápidas ao longo de uma maior variedade de aplicações parciais do acelerador – como a aceleração gradual à saída das curvas – minimizando assim eventuais atrasos no fornecimento de binário.

De série, existem três modos de condução, com opções para alterar a saída e o caráter do motor, com opções para alterar a potência (P), o efeito de travão-motor (EB) e o controlo anti-cavalinho (W).

O sistema de controlo de binário variável da Honda (HSTC) tem 9 níveis de atuação e foi otimizado para a RR-R, passando a contar com o controlo da relação de patinagem. Em conjunto com o controlo básico da patinagem, o sistema HSTC tem uma intervenção suave e oferece a máxima confiança ao condutor.

O quadro tipo diamante, totalmente novo, fabricado em alumínio de 2 mm e possui uma afinação mais precisa do equilíbrio da rigidez.

Já o braço oscilante – estampado de 18 espessuras individuais de alumínio e usado na RC213V-S – é 30,5 mm mais comprido, com 622,7 mm, mas pesa exatamente o mesmo que o design anterior. A sua rigidez horizontal foi reduzida em 15%, mantendo a rigidez vertical para produzir maior aderência e sensibilidade.

O ponto superior de fixação da suspensão traseira Pro-Link situa-se na parte traseira do bloco do motor, através de um suporte, permitindo eliminar a travessa superior.

 A CBR1000RR-R também está equipada com o novo sistema Honda HESD de Amortecedor Eletrónico de Direção Showa (HESD – Honda Electronic Steering Damper). O amortecedor de direção HESD, montado na parte inferior da coluna de direção e ligado à mesa inferior de direção, é controlado pelos sinais de entrada dos sensores de velocidade das rodas e pela IMU, existindo três 3 níveis de controlo disponíveis.

 A forquilha telescópica invertida Showa Big Piston Fork (BPF) de 43 mm permite que a pré-carga da mola e o amortecimento em extensão/compressão possam ser totalmente afinados e, para a RR-R, a forquilha tem um comprimento maior do que no anterior modelo , permitindo alterações rápidas da geometria em pista.

O amortecedor traseiro é uma unidade totalmente ajustável Showa de baixo peso e equilíbrio (BFRC – Balance Free Rear Cushion-Light).

A nova CBR1000RR-R Fireblade conta com discos dianteiros de 330mm de diâmetro que trabalham com novas pinças Nissin de quatro êmbolos, enquanto o ABS tem afinações para competição. Já a maxila do travão traseiro é uma unidade Brembo igual à que é usada na RC213V-S.

A unidade de medição de inércia (IMU) de seis eixos da Bosch, substitui a anterior de cinco eixos, permite uma melhor gestão de todos os sistemas eletrónicos, controlando igualmente o novo amortecedor de direção eletrónico Honda.

Em matéria de aerodinâmica, a nova Fireblade conta com alguns detalhes da RC213 V de MotoGP, tal como as alhetas que ajudam a gerar a força descendente permitindo assim a redução do levantamento da roda dianteira em aceleração e maior estabilidade nas travagens e nas curvas.

Para um controlo completo e intuitivo dos sistemas, a CBR1000RR-R está dotada de um ecrã TFT a cores de 5 polegadas, totalmente personalizável.

A nova Fireblade está ainda dotado do novo sistema Smart Key da Honda. A ignição e a tranca da direção funcionam assim sem necessidade de inserir usar uma chave.

A CBR1000RR-R Fireblade também vai estar disponível em variante SP. Este modelo está equipado com a segunda geração do sistema de controlo eletrónico semi-ativo da Öhlins (S-EC), forquilha NPX de 43 mm à frente, amortecedor traseiro Öhlins TTX36 Smart-EC atrás, novas pinças radiais Brembo Stylema de quatro êmbolos e a mesma pinça traseira Brembo usada na RC213V-S.

Os dois novos modelos da Fireblade vão estar vão estar disponíveis em dois esquemas cromáticos: Vermelho Grand Prix inspirada nos modelos HRC e Preto Pérola Mate.

  • TEMAS:
  • Honda

  • CBR1000RR-R Fireblade

  • SP Fireblade

Veja mais