O icónico DS recebeu uma atualização do motor e agora é… elétrico!

  • Redação Autoportal
  • 30 jul, 11:45

Trocar o motor de combustão por um elétrico é algo cada vez menos estranho e em modelos como o DS até faz algum sentido

É um modelo histórico que marcou uma época e será sempre associado ao seu inovador sistema de suspensão hidráulica que lhe conferia uma dinâmica muito peculiar.

O que nunca foi um dos seus trunfos foi mesmo o motor, mas este é um ponto que verá finalmente melhorado com esta nova crescente tendência de instalar motorizações elétricas em modelos clássicos.

PUB

E se há alguns automóveis em que esta ideia nos pode causar alguma estranheza, neste caso, um motor elétrico pode muito bem ser o trunfo que o DS aguardava há décadas, para que possa finalmente deslizar como se estivesse nas nuvens e em perfeito silêncio.

Os técnicos da Electrogenic iniciaram este processo com um VW Beetle de 1963 que estava a dar alguns problemas, mas em vez de encontrar um motor novo, optaram por explorar melhor esta ideia de adicionar um motor elétrico em vez de um de combustão. O resultado foi fantástico e o Beetle até passou a ter uma condução mais divertida e cativante, deixando de lado as preocupações de poder demorar demasiado tempo a arrancar num cruzamento, por exemplo.

PUB

Seguiram-se outros testes e algumas encomendas especificas e depressa surgiram “versões” elétricas de um Rolls-Royce Silver Shadow de 1971, de um Hudson Commodore de 1951 e de outros modelos como um Land Rover Defender, um Triumph Stag, um Morgan, um Morris Minor ou um Volkswagen T2 de 1964.

O modelo seguinte desta coleção é um Citroën DS de 1971, que recebeu um motor elétrico Hyper9 de 120 cavalos e 235Nm de binário, o que se traduz numa melhoria significativa face ao motor de combustão original com dois litros de capacidade. A caixa de velocidades é a mesma, ainda que numa versão bastante modificada e a tração continua a ser feita nas rodas dianteiras.

PUB

As baterias destinadas a alimentar o sistema estão incluídas no espaço onde se encontrava o motor, mas também no espaço onde antes estava o depósito de combustível. Em termos de autonomia, a Electrogenic afirma que desta forma, este DS conseguirá percorrer cerca de 225 quilómetros sem qualquer dificuldade, mas que é possível adicionar mais módulos de bateria e adicionar uns 100 quilómetros a este valor.

PUB

Um dos elementos mais característicos do Citroën DS, no entanto, é a sua suspensão hidropneumática, que nivela automaticamente a carroçaria e requer componentes específicos para o seu funcionamento, mas os técnicos da Electrogenic encontram uma solução.

A grande maioria dos componentes permanece inalterada, exceção feita à bomba do sistema, que deixou de ser a ruidosa bomba mecânica original e passou a ser uma nova elétrica e totalmente silenciosa, desenvolvida especificamente para este modelo.

Visualmente, as únicas diferenças deste DS EV estão na ausência de sistemas de escape e na presença de um logo específico, instalado na tampa da bagageira, uma vez que a Electrogenic quis preservar o seu desenho, todos os traços e detalhes o mais perto possível do modelo original. A marca situada em Oxford, no Reino Unido, não refere os valores envolvidos para cada conversão, uma vez que cada projeto é feito à medida de cada cliente e por isso, bastante diferentes entre si.

Continuar a ler

RELACIONADOS

Raríssima Volkswagen Transporter Elétrica em exposição junto a ID.4

Porsche 911 (964) de 1991 numa versão de motor... elétrico!

Como fazer renascer um ícone como o GT40 e prepará-lo para o futuro

Carregamento elétrico por wireless em teste nos EUA

COMPUTADOR DE BORDO

Tem a certeza de que faz o transporte de crianças como deve ser?

Detetores de radar de velocidade à venda na internet. Legais ou ilegais?

Governo alega “questões técnicas”: veículos elétricos sem direito a descontos nas SCUT

VEJA MAIS

MAIS LIDAS