Ford testa linguagem visual para ajudar veículos autónomos a comunicar com peões

  • Redação Autoportal
Ford linguagem visual
Ford linguagem visual

Marca norte-americana quer saber como vão comunicar os veículos autónomos num futuro próximo

Gestos com as mãos, movimentos com a cabeça e levantar o polegar, são um conjunto de sinais que ajudam condutores, peões e ciclistas a perceberem o que cada um está a fazer. Mas como comunicarão os veículos autónomos, sem condução humana, com todos os outros à sua volta?

A Ford tem vindo a testar uma abordagem que utiliza luzes para indicar o que veículo está a fazer e o que irá fazer de seguida. Estes testes integram as pesquisas da empresa no desenvolvimento de uma interface de comunicação que ajudará os veículos autónomos a integrarem-se na perfeição com outros utilizadores da estrada.

Para garantir o maior realismo possível aos testes, a empresa criou o "Banco de Automóvel Humano" que instalou dentro de um furgão Transit Connect. Projetado para se parecer com um veículo autónomo, com o condutor “escondido” no banco, os observadores puderam avaliar mais eficazmente as respostas às luzes, montadas no tejadilho, com flashes em branco, roxo e turquesa, para indicar quando o furgão estava em andamento, prestes a avançar ou a dar passagem.

Os testes mostraram que 60 por cento das 173 pessoas inquiridas após o encontro com a Transit Connect, achou que se tratava, de facto, de um veículo autónomo. Juntamente com as reacções observadas em mais 1.600 pessoas, a cor turquesa – mais perceptível do que o branco e menos fácil de confundir com o vermelho do que o roxo – emergiu como a cor preferencial. Foi também detectado um elevado nível de aceitação e confiança nos sinais, fornecendo uma base a partir da qual os investigadores podem desenvolver e aperfeiçoar a linguagem visual.

Em testes separados conduzidos pela Ford, juntamente com a HELLA, especialista em iluminação e electrónica automóvel, os investigadores testaram outros locais para a colocação das luzes, tais como a grelha e faróis dianteiros, mas não ficou definida uma clara preferência.

Tendo como objectivo o desenvolvimento de um veículo autónomo construído de raiz, a ser lançado na América do Norte em 2021, a Ford está a trabalhar no sentido de garantir às pessoas confiança nos veículos autónomos. Para tal, é essencial a criação de uma norma industrial padrão para a comunicação das intenções de condução e nesse sentido a empresa está a colaborar com diversas organizações da indústria automóvel, incluindo a Organização Internacional de Normalização (International Organisation for Standardisation, ISO) e a Society of Automotive Engineers (SAE), apelando também a outras empresas do ramo automóvel e da tecnologia para colaborar na criação dessa norma padrão.

  • TEMAS:
  • Ford

  • Condução autonoma

  • Véiculos autónomos

Veja mais