Plano Climático da UE: Carros Livres de emissões para todos em 2035

  • 28 jul, 17:42
T&E
Plano Climático da UE: Carros Livres de emissões para todos em 2035
Plano Climático da UE: Carros Livres de emissões para todos em 2035

Os fabricantes de automóveis devem reduzir as emissões em 55% até 2030, aumentando para 100% em 2035 e cumprir assim a proposta da Comissão Europeia

O grupo ecológico Transporte e Meio Ambiente (T&E), afirmou recentemente que o plano da União Europeia para vender carros 100% livres de emissões em 2035 democratizará os veículos elétricos na Europa.

A meta anunciada é um passo importante tendo em conta que os automóveis são responsáveis por 12% das emissões de gases efeito de estufa e, alterar a venda de motores poluentes para totalmente elétricos é fundamental para atingir as emissões líquidas zero até 2050.

PUB

Foi também publicado o pacote legislativo europeu "Fit for 55", que tem como uma das diretivas acabar com a isenção de impostos para combustível de aviação poluente, substituí-lo ao longo do tempo por alternativas verdes e acelerar o lançamento da carga elétrica para camiões. Em contrapartida o transporte marítimo continuará a usar combustível fóssil, repercutido em décadas de emissões.

Os fabricantes de automóveis devem reduzir as emissões em 55% até 2030, aumentando para 100% em 2035 e cumprir assim a proposta da Comissão Europeia. As metas impostas a partir de 2025 são importantes para garantir a execução em termos de produção reduzindo custos e, conseguir a adesão do consumidor.

PUB

Com uma meta de -50% de CO2 em 2030 para os fabricantes de carrinhas, a T&E prevê que os mesmos pouco farão para acelerar a eletrificação deste tipo de veículo.

Os pontos de carregamento têm que ter capacidade de resposta para a evolução a partir de 2025. De acordo com o plano, os países da UE terão de garantir resposta compatível com o número de carros elétricos na estrada.

PUB

Pela primeira vez os aviões terão que começar a usar combustíveis sustentáveis. A UE anunciou que exigirá que 0,7% dos combustíveis para aviação sejam e-combustíveis verdes à base de hidrogênio, com emissões de carbono próximas de zero, até 2030, aumentando para 5% em 2035. Além disso, as companhias aéreas começarão a pagar impostos sobre os combustíveis fósseis.

Em relação ao transporte marítimo a Comissão propôs um corte nas emissões por meio do sistema de comércio de emissões da UE. No entanto, a T&E disse que o mandato marítimo planeado de combustível “verde” poderia impulsionar o mercado de GNL, um combustível fóssil e biocombustíveis insustentáveis, em vez de promover e-combustíveis verdes baseados em hidrogênio. Isto obrigaria os principais portos a gastar biliões em novas infraestruturas de reabastecimento de gás.

PUB

William Todts da T&E disse: “Por muito tempo, o transporte marítimo tem sido uma anomalia climática. A UE começará a fazer com que os poluidores do transporte marítimo paguem, mas, ao pressioná-los a usar gás e biocombustíveis, a cura será pior do que a doença. Precisamos de uma lei de combustível marítimo verde que promova e-combustíveis genuinamente verdes como a amônia.”

A T&E aponta alguns problemas nos objetivos definidos pela proposta de lei de combustíveis verdes da UE, a Diretiva de Energia Renovável, uma vez que nada faz para pôr termo aos biocombustíveis agrícolas, que podem emitir mais do que os combustíveis fósseis que substituem. Em vez disso, a nova lei estabelece metas insustentavelmente altas para biocombustíveis avançados e combustíveis de hidrogênio.

PUB
Continuar a ler

RELACIONADOS

A Toyota pretende tornar as suas fábricas neutras de carbono em 2035

Aliança de CEO europeus: Reduzir as emissões de CO2 em 55% até 2030

Emissões de CO2 registaram queda em 2020

COMPUTADOR DE BORDO

Tem a certeza de que faz o transporte de crianças como deve ser?

Detetores de radar de velocidade à venda na internet. Legais ou ilegais?

Governo alega “questões técnicas”: veículos elétricos sem direito a descontos nas SCUT

VEJA MAIS

MAIS LIDAS