BMW 620d GT: Ensaio em estrada a um viajante nato

O BMW série 6 GT foi renovado e uma das bandeiras comerciais a nível nacional, o 620d, surge com aptidões reforçadas nos capítulos tecnológicos e de eficiência energética.

Teste em estrada ao novo BMW 620 GT com referências a eficiência energética? Parece um contrassenso quando lê que é um Diesel? Nada disso. Comecemos justamente por aí. Pelo que de novo tem esta geração no coração da sua mecânica.

A adoção da tecnologia “mild hybrid” de 48V permite ao reconhecido e competente motor Diesel 2 litros de 140 kW (190 cavalos de potência) apresentar, de acordo com dados da marca, melhores emissões de CO2 (127 g/km) e apresentar um consumo médio anunciado de 5,5 litros/100 km (no nosso teste ficamos por 6,5 l/100 km).

PUB

A tecnologia “mild hybrid” corresponde a um alternador, ligado em corrente elétrica interna a 48V, capaz de gerar 8 kW disponíveis para utilizar em situações de necessidade, melhorando, por isso mesmo, os consumos.

Na verdade, permite de igual forma ter um “extra” imediato também disponível para “performance”, pois esta energia é armazenada fruto da cinética, desacelerações e travagens e será utilizada pelo sistema quando você carrega no acelerador (sem ser em modo ECO bem entendido). Ou seja, nada se perde e é mesmo convertido em energia. Mais ecológico mas, ao mesmo tempo, com mais potência para entregar.

PUB

Tecnologicamente esta nova geração do BMW 6 GT surge igualmente mais evoluída.

O “Live Cockpit Professional” coloca à sua frente quando entra no habitáculo, um painel de instrumentos totalmente digital e personalizável, bem como um monitor central tátil e panorâmico (12,3 polegadas) de info-entretenimento.

A personalização do painel central e o acesso a todas as funções multimédia, telefone ou navegação estão disponíveis através do toque, mas também com o recurso ao comando rotativo iDrive central que, nesta unidade, até nos pareceu particularmente mais sensível.

PUB

No campo da tecnologia tem ainda os comandos por reconhecimento de gesto (pode mudar de canal passando a mão da esquerda para a direita debaixo do sensor) ou por vocalização. Nem um, nem outro estão ainda ao nível da ficção científica, mas é um “must” que ainda poucos podem oferecer.

Cereja em cima do bolo, o elevado detalhe das camaras, o sistema de estacionamento com simulação de visualização aérea 360 graus e as ligações Android, Apple e WiFi. Tem ainda o serviço “Concierge” que poderá dar acesso a um assistente personalizado (mas não testamos).

PUB

Como percebeu, primeiro reconhecemos as competências técnicas e de engenharia, depois tecnológicas e “user friendly”, vamos à estrada.

Se acha que um veículo com mais de 5 metros e um peso de 1910 kg tem problemas em mover-se… está enganado! O construtor diz que o arranque dos 0 aos 100 km/h é realizado em 7,9 segundos e a velocidade máxima atinge os 220 km/h. Da próxima vez que for a uma pista, teste a primeira, a segunda não vale a pena porque o GT é um carro para dias de conforto.

A BMW oferece a suspensão independente nos dois eixos, com McPherson à frente e multibraços pneumática atrás. Nesta unidade o sistema pneumático encontrava-se em ambos.

Vantagens? A BMW assegura que desta forma existe uma compensação permanente da altura ao solo para assegurar que o eventual “extra” de peso que um carro de caráter eminentemente familiar possa trazer. O melhor é também que este sistema, impercetível já agora, funciona também como apoio à estabilidade horizontal a alta velocidade.

PUB

Se quer experimentar tudo isto de uma forma mais pragmática tem a função Adaptive que, após seleção no painel central, irá de forma automática e eletrónica calcular em cada instante a resposta dos vários elementos em função da sua condução.

PUB

De salientar que esta função de “predição” não é apenas eficaz em questões de condução mais desportiva. O mau piso, ou a sua condução sensivelmente mais em recurso ao travão irá fazer com que o sistema comece a “travar” ligeiramente mais cedo ou, a melhorar a eficiência e sensibilidade. Não é complicado é só deixar-se “ir” com a eletrónica.

Dinâmica positiva e conforto ainda mais em destaque como já percebeu.

E conforto é mesmo a palavra de ordem, os bancos são poltronas, as poltronas são… espetaculares. Viagens de longa distância são momentos num bom sofá. Não é excesso de linguagem é constatação. Até porque, nesta unidade, pode-se ainda contar com múltiplas regulações elétricas e bancos aquecidos ou refrigerados. E são um espetáculo, caso ainda não tenha referido.

Para essa viagem fique ainda a saber que tem uma bagageira com 600 litros de capacidade e pode ainda rebater os bancos e atingir 1.800 litros. Leva praticamente tudo…

Pode parecer estranho que apenas lhe fale na estética no final do ensaio. Bem, na verdade, como é óbvio é a primeira coisa que se repara. O BMW Série 6 GT é um modelo que ou se gosta ou quase se odeia. As formas são muito volumosas. Para uns é imponente, para outros, acreditamos que possa ser demasiado grande.

PUB

Esta nova geração “bebeu” as gotas de design dos seus irmãos, em especial do Série 5 e 7, onde irá encontrar elementos que lhe farão “lembrar algo”. Novos para-choques, grelha com o novo formato e a moldura cromada mais proeminente são identificativos.

PUB

As óticas dianteiras em LED são mais estreitas e afuniladas com um L deitado a 90 graus são de igual forma uma novidade. À noite vai apreciar os máximos adaptativos que lhe vão iluminar a curva na direção que os seus olhos necessitam. Já na traseira os farolins também receberam um efeito de profundidade com o ponto de visão para os condutores traseiros a ter agora uma assinatura de luz com maior caráter.

Em conclusão, voltamos ao início. Relembre-se GT é sigla para Gran Turismo. Um cruzador para viagens, confortável, com uma mecânica com provas dadas e que surge melhorada com a introdução de um sistema “mild hybrid”. É um modelo que tem vingado no tempo com as suas características de espaço, individualidade e conforto.

A crítica? Só mesmo o facto de saber que existem opções com motores mais pujantes mas que os nossos impostos não nos deixam sonhar com elas.

PUB

O preço da unidade ensaiada ronda os 90 mil euros, mas o BMW 620d GT pode ser adquirido a partir de 71.900 euros. No diferencial, inclui-se para além de muitas coisas já referidas, um fabuloso sistema de som Surround Harman/Kardon.

Porque deixei para último? Porque agora, vou colocar no áudio “You don’t know how it feels” de Tom Petty e relaxar uns momentos.

Continuar a ler

RELACIONADOS

Teste em estrada ao novo Renault Arkana E-Tech Hybrid

Teste: Santa Fe é sinónimo de espaço, conforto e agora mais luxo

Suzuki Across em teste, quanto vale o novo híbrido da marca japonesa?

Teste em estrada ao Toyota RAV4 híbrido Plug-in com 306cv de potência

COMPUTADOR DE BORDO

Tem a certeza de que faz o transporte de crianças como deve ser?

Detetores de radar de velocidade à venda na internet. Legais ou ilegais?

Governo alega “questões técnicas”: veículos elétricos sem direito a descontos nas SCUT

VEJA MAIS

MAIS LIDAS