Novo Audi A3 tem bancos com material reciclado

  • Redação Autoportal
  • 11 mar 2020, 12:57

Garrafas plásticas reciclados revestem a nova versão do Audi A3

A sustentabilidade é um pilar central da estratégia corporativa das marcas do setor automóvel e a Audi é disso exemplo.

Pela primeira vez, a Audi utiliza como matéria prima materiais à base de garrafas de plásticos recicladas para o revestimento dos bancos da quarta geração do A3.

PUB

Até 89% do tecido utilizado é feito de garrafas recicladas PET, que são transformadas em fios através de um elaborado processo de produção.

O resultado são tecidos que garantem os mesmos padrões de qualidade em termos de aparência visual e ao tato em relação aos estofos convencionais.

Para este efeito são utilizadas até 45 garrafas plásticas com capacidade de 1,5 litros por conjunto de bancos. Além disso, mais 62 garrafas são recicladas para os tapetes do novo Audi A3.

O material plástico reciclado é utilizado também no acabamento plástico do porta-bagagens e nos isolantes térmicos e acústicos do habitáculo.

O objetivo é claro, aumentar nos próximos anos a percentagem de material reciclado em toda a oferta da Audi.

PUB

Apesar desta inovadora aposta, a marca germânica fez saber que atualmente, o revestimento do banco ainda não é totalmente fabricado com material reciclável.

“O nosso maior desafio está na união entre a camada inferior e a superior do tecido, que é unida com material adesivo. Estamos a trabalhar para substituí-lo por poliéster reciclável”, destacou Ute Grönheim, responsável pelo desenvolvimento de materiais na divisão de têxteis da Audi.

O certo é que a longo prazo, todos os estofos dos bancos em todas as gamas e modelos da Audi serão fabricados com material reciclado.

PUB
Continuar a ler

RELACIONADOS

Audi revela o novo A3 Sportback que chega em maio

Audi revela novas versões do e-tron S com 503 cv

Audi Q7 chega a Portugal: saiba com que preços

COMPUTADOR DE BORDO

Tem a certeza de que faz o transporte de crianças como deve ser?

Detetores de radar de velocidade à venda na internet. Legais ou ilegais?

Governo alega “questões técnicas”: veículos elétricos sem direito a descontos nas SCUT

VEJA MAIS

MAIS LIDAS