Operação Páscoa teve mais vítimas mortais do que no ano passado

  • Redação Autoportal
GNR (Lusa)
GNR (Lusa)
Acidentes foram menos, mas o número de feridos graves também foi superior a 2018

Sete pessoas morreram e 30 ficaram feridas com gravidade nos mais de 920 acidentes registados pela GNR durante a Operação Páscoa deste ano, que terminou na segunda-feira registando mais vítimas mortais do que em 2018.

Na Operação Páscoa do ano passado, a GNR tinha registado seis vítimas mortais e 19 feridos graves, apesar de o número de acidentes ter sido superior em 2018 (1.010 em vez dos 921 deste ano).

Segundo os dados finais revelados pela GNR, como veicula a Lusa, entre os dias 18 e 21 foram fiscalizados 21.200 condutores, dos quais 375 conduziam com excesso de álcool e, destes, 149 foram detidos por apresentarem uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 1,2 g/l.

Foram também detidas 46 pessoas por conduzirem sem carta.

A GNR detetou 6.565 contraordenações, 3.574 por excesso de velocidade, 327 por falta de inspeção periódica, 280 por anomalias no sistema de iluminação ou sinalização, 210 por uso indevido do telemóvel ao volante e 197 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou cadeirinha para crianças.

Foram ainda detetados 128 casos de falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório.

Durante a Operação Páscoa 2019, a GNR intensificou o patrulhamento e a fiscalização nos principais eixos rodoviários, com particular atenção a manobras perigosas, à correta sinalização e execução de manobras de ultrapassagem, mudanças de direção e cedência de passagem, à utilização indevida do telemóvel, à condução sob a influência do álcool e substâncias psicotrópicas e ao excesso de velocidade.

  • TEMAS:
  • Operação Páscoa

  • GNR

  • Acidentes

Veja mais