Jeep apresenta o Wrangler 4xe: o novo híbrido plug-in com dois motores elétricos

  • Redação Autoportal
Novo híbrido plug-in oferece 375 cv de potência e um autonomia até 40 km em modo elétrico

A Jeep lançou agora o seu novo Wrangler 4xe, a variante híbrida plug-in do modelo norte-americano que vai chegar ao mercado europeu no início de 2021

De acordo com a marca, o Wrangler 4xe está equipado com um bloco de quatro cilindros turbo de 2.0 litros, associado a dois motores elétricos, uma bateria de iões de lítio de 400V e 17 kWh e uma transmissão automática de oito velocidades.

Em conjunto os três motores debitam uma potência total de 375 cv (280 kW) e um binário de 637 Nm, ou seja mais binário do que aquele que está disponível no bloco EcoDiesel do Wrangler.

Os motores elétricos são alimentados por um 'pack' de baterias instaladas por baixo da segunda fila de bancos que foi redesenhada para que a base do assento deslize para a frente, a fim de permitir o acesso às baterias, que permitem uma autonomia de cerca de 40 km em modo exclusivamente elétrico.

O Wrangler 4xe conta com três modos de condução, híbrido que é o modo por defeito que alia o binário do motor de 2 litros ao do motor elétrico. Neste modo, a unidade motriz utiliza primeiro a potência da bateria, acrescentando depois a propulsão do motor de quatro cilindros quando a bateria chega ao nível de carga mínimo.

Já o modo elétrico opera só com potência elétrica até a bateria chegar ao nível de carga mínimo ou se o condutor pedir mais binário (como o acelerador completamente aberto), o que permite acionar o motor de 2 litros.

Por seu lado o modo eSave dá prioridade à propulsão do motor térmico, poupando a carga da bateria para utilização posterior, funcionando como veículo elétrico em todo o terreno ou em áreas urbanas, onde é restringida a alimentação com motor de combustão interna.

O condutor pode então escolher entre Battery Save (Economia de Bateria) e Battery Charge (Carga da Bateria) no modo eSave através das Hybrid Electric Pages disponíveis no monitor do sistema Uconnect.

A travagem regenerativa é uma parte fundamental da equação ecológica do Wrangler 4xe. Quando o condutor carrega no pedal do travão, a unidade motriz recupera a máxima capacidade da travagem regenerativa disponível, até 0,25 g, dos motores elétricos para travar o veículo, aumentada com os tradicionais travões de atrito do Wrangler. 

Com a tração 4x4 engrenada, as quatro rodas contribuem para o binário da travagem regenerativa, maximizando a recuperação de energia. A eletricidade gerada pela travagem regenerativa é encaminhada para as baterias para manter ou aumentar o nível de carga.

O Wrangler 4xe dispõe ainda da capacidade de maximizar a produção de energia regenerativa através da função Max Regen selecionável pelo condutor, uma função que consegue travar o Wrangler 4xe mais rapidamente que a travagem regenerativa standard e gera mais eletricidade para as baterias. Uma vez selecionada, a função Max Regen permanece ativa até o condutor a cancelar.

Esta versão híbrida plug-in vai estar disponível em três níveis de equipamento: 4xe, Sahara 4xe e Rubicon 4xe. As duas primeiras garantem tração integral e uma caixa de transferências Selec-Trac de duas velocidades, além de possibilidade de contar com um diferencial de deslizamento limitado Trac-Loc.

Já o Wrangler Rubicon 4xe, surge, de série, com o sistema Rock-Trac 4×4, bloqueamento elétrico dos eixos dianteiros e traseiros, um rácio de tracção de 77.2:1, desconexão elétrica da barra estabilizadora, assim como vários outros sistemas.

No que toca ao design destaque para alguns detalhes em azul e uma estética escultural, arrojada e funcional, com uma postura imponente e guarda-lamas trapezoidais.

Quanto aos preços do novo Wrangler 4xe, a marca fez saber que vão ser revelados mais perto do lançamento deste novo híbrido plug-in.

  • TEMAS:
  • Wrangler 4xe

  • Hibrido plug in

  • Jeep

Veja mais