TAE Power Management propõe-se criar veículos elétricos mais económicos e eficientes

  • Redação Autoportal
  • 3 jan, 11:05

Nova divisão vai concentrar-se no fornecimento de soluções de gestão de energia para veículos elétricos, infraestruturas de carregamento e armazenamento de energia

A empresa pioneira no ramo da energia de fusão TAE Technologies anunciou a criação de uma nova divisão que irá dedicar-se à comercialização de soluções de gestão de energia aplicáveis a veículos elétricos, infraestruturas de carregamento e armazenamento de energia.

A TAE Power Management terá como uma das missões contribuir para a criação de veículos elétricos mais económicos e eficientes. Como tal, já está em conversações adiantadas com fabricantes de automóveis de nível global e com empresas da área do retalho de combustíveis.

PUB

A nova divisão propõe-se a revolucionar a infraestrutura em torno da mobilidade elétrica ao disponibilizar uma base de propulsão elétrica com maior eficiência e autonomia, maior segurança e fiabilidade e um carregamento substancialmente mais rápido a um custo mais baixo. A sua atividade irá também contemplar as tecnologias para armazenamento de energia residencial e comercial, bem como os setores aeroespacial, transporte marítimo e operação de frotas.

Para liderar a nova divisão foi escolhido David Roberts, executivo com uma carreira de 40 anos nos setores automóvel e aeroespacial. Para a sua contratação, ganhou especial importância a sua visão estratégica e experiência, a par das fortes ligações que detém com fabricantes do setor automóvel.

PUB

Juntamente com uma vasta equipa composta por engenheiros, especialistas de produto e elementos dedicados ao desenvolvimento de negócio, Roberts tem planos para que a TAE Power Management gere receitas já a partir de 2022, essencialmente através de licenças e parcerias. A nova divisão tem o objetivo de obter uma posição de relevo nos mercados de armazenamento de energia e mobilidade elétrica; os quais, em conjunto, se estima que venham a ter um valor de 1.200 mil milhões de dólares (cerca de mil milhões de euros) até 2030.

PUB

“Estou muito entusiasmado com a tecnologia de gestão de energia da TAE, que é verdadeiramente inovadora”, confessa David Roberts: “Irá transformar completamente o mercado da mobilidade elétrica, ao mesmo tempo que reduz significativamente os custos operacionais.”

Continuar a ler

RELACIONADOS

DSD aposta forte na otimização de sistemas de propulsão elétrica

China vê nos automóveis elétricos oportunidade para “invadir” a Europa

Hyundai vai produzir os seus próprios semicondutores

COMPUTADOR DE BORDO

Tem a certeza de que faz o transporte de crianças como deve ser?

Detetores de radar de velocidade à venda na internet. Legais ou ilegais?

Governo alega “questões técnicas”: veículos elétricos sem direito a descontos nas SCUT

VEJA MAIS

MAIS LIDAS