Chegou o novo Citroën C3 Aircross: já o experimentámos e sabemos os preços

B-SUV da marca francesa renovou-se no design no conforto e na tecnologia

O novo Citroën C3 Aircross chegou neste fim de semana a Portugal e traz várias novidades a assinalar numa gama a gasolina e Diesel que já experimentámos e em relação à qual podemos dizer-lhe os preços de todas as versões.

Com o segmento B-SUV em evidente expansão, a marca francesa decidiu elevar o C3 Aircross de patamar em relação a 2017. Esta não é uma nova geração; é ainda uma renovação de um modelo que mantém por base a plataforma PF1, mas cujos argumentos de SUV compacto ficaram reforçados.

PUB

O novo design – com destaque para a secção dianteira – é visível desde logo à distância – como pode apreciar mais em detalhe na galeria de imagens associada –, mas, nesta apresentação dinâmica no Alentejo, também já pudemos apreciar de facto a elevação de patamar no conforto e na tecnologia de assistência à condução.A gama do Citroën C3 Aircross divide-se entre duas motorizações a gasolina, com o 1.2 PureTech com os níveis de potência de 110 e 130 cv, e duas Diesel, com o 1.5 BlueHDI de 110 e 120 cv. Em ambos os casos, os blocos de 110 cv estão associados em exclusivo à caixa manual de 6 velocidades (CVM6); por oposição, ambos os mais potentes são equipados com a caixa automática de 6 velocidades (EAT6).

PUB

Os níveis de equipamento dividem-se por cinco versões. Nós experimentámos ambos os modelos de 110 cv, com a caixa manual, e apresentando o conforto do equipamento Shine (por base...d)

A frente redesenhada ganhou robustez em direção a um ‘look’ mais SUV integrando também já a nova assinatura da Citroën (estreada com o C4) com iluminação LED. Em estreia no C3 Aircross está também a tecnologia de conforto Advanced Comfort nos bancos que nos permitem horas seguidas – como o fizemos – de condução sem fadiga corporal.

PUB

O interior é claramente desportivo com muitos materiais variados numa mesma superfície a transmitirem esse dinamismo aventureiro numa clara preocupação da marca pelo ambiente interior. E é nesse espírito que o novo C3 Aircross nos oferece 70 personalizações diferentes indo da multiplicidade de cores das pinturas a opções como o tejadilho de vidro.

Este dinamismo verifica-se também na modularidade da conceção em que a fila de bancos traseiros desliza num máximo de 150 mm conjugando espaço interior com carga num intervalo entre 410 e 520 litros de capacidade da bagageira. O espaço na fila da frente é perfeitamente condizente com a sua condição de B-SUV com uma posição alta de condução e muito fácil de encontrar no ponto que nos convém.

PUB

A partir do equipamento C-Séries o ecrã do sistema de infoentretenimento sobe das 7 para as 9’’ no seguimento ascendente da nova consola central, mas, no campo desta secção, o apoio de braço movível para o condutor e o travão de mão colidem no espaço conjunto que partilham. Em autoestrada, estrada ou dentro de localidades, o comportamento do C3 Aircross responde com a competência que se espera de um veículo desta gama.

O rolamento faz-se sem reparos para a direção ou para o chassi e também sem ruído(s) e com boa resposta para uma ultrapassagem mais rápida, mas sem esquecer que as duas velocidades mais altas já estão mesmo vocacionadas para isso: rodar embalado. Com consumos prometidos pela Citroën entre os 4,2-5,0 litros para o 1.5 BlueHDI 110 cv e 5,6-6,7 litros para o1.2 PureTech 130 cv, a facilidade de estacionamento é garantida sem espaços grandes mesmo sem ajudas que façam parte da dúzia de assistentes á condução propostas pela gama.

PUB

Gostamos especialmente de contar com um head-up display no novo C3 Aircross, bem como aprovamos a competência do reconhecimento de sinalização vertical ou os avisos de saída da faixa de rodagem ou de perigo de colisão entre opções que vão até ás 12 ajudas à condução nos equipamentos. E pudemos desfrutar em pleno, num trajeto bem off-road pela Serra de Ossa, do sistema de controlo de tração proporcionado pelo Grip Control com o Hill Assist Descent associado.

PUB

O Citroën C3 Aircross oferece cinco programas de condução para pisos mais exigentes e com diferentes condições de aderência (grip) que vão do sandard à lama passando pela neve. Tendo ativado o programa para areia e acionando o Hill Descent pudemos aproveitar o sistema a regular automaticamente a velocidade do veículo em descidas pronunciadas podendo libertar embraiagem e acelerador.

De Lisboa a Estremoz passando com competência pelos caminhos bem radicais da serra, o novo Citroën C3 Aircross já chegou a Portugal neste fim de semana com 13 versões em ofeta:

  Feel Feel Pack C-Séries Shine Shine Pack
1.2 PureTech 110 S&S CVM6 19.307 € 20.407 € 21.707 € 22.057 €  
1.2 PureTech 130 S&S EAT6     24.107 € 24.457 € 25.957 €
1.5 BlueHDI 110 S&S CVM6 22.817 € 23.917 € 25.217 € 25.567 €  
1.5 BlueHDI 120 S&S EAT6     27.007 27.357 €  

 

Continuar a ler

RELACIONADOS

Teste: Santa Fe é sinónimo de espaço, conforto e agora mais luxo

Suzuki Across em teste, quanto vale o novo híbrido da marca japonesa?

Teste em estrada ao Toyota RAV4 híbrido Plug-in com 306cv de potência

Ao volante do Dacia Spring: o elétrico mais barato destinado ao sucesso urbano

Já testámos o Mercedes EQA e, além de tudo o mais, é superdivertido

COMPUTADOR DE BORDO

Tem a certeza de que faz o transporte de crianças como deve ser?

Detetores de radar de velocidade à venda na internet. Legais ou ilegais?

Governo alega “questões técnicas”: veículos elétricos sem direito a descontos nas SCUT

VEJA MAIS

MAIS LIDAS