Entre o Kadett e o Astra, já se somam 85 anos de história

  • Redação Autoportal
  • 12 ago 2021, 13:47

Com a chegada da sexta geração do Astra, a Opel dá continuidade à história de sucesso da sua família de automóveis compactos

A categoria dos familiares compactos é uma das mais queridas pela Opel. Afinal, foi este o segmento que impulsionou a história da marca, depois do lançamento do primeiro Kadett em 1936. Entre todas as gerações do Kadett e do Astra, há garantidamente mais de 20 milhões de unidades produzidas e comercializadas. E agora que vamos conhecer uma totalmente nova, é o momento perfeito para recordarmos tudo o que já ficou para trás nesta categoria.

Em 1936, num momento em que o segmento automóvel estava a precisar de algo completamente novo e mais acessível, a Opel foi a primeira marca alemã a colocar no mercado uma solução que respondia a este desejo. Depois do Opel Olympia, o Kadett foi o segundo modelo de origem alemã a ser produzido com uma carroçaria monobloco em aço, em vez da tradicional solução produzida em madeira e assente num chassis de longarinas. Esta solução trazia claros benefícios em termos de peso, por exemplo, o que também acabava por melhorar os consumos e o seu desempenho, ao mesmo tempos que também melhorava a segurança de quem viajava a bordo.

PUB
PUB

A segunda geração do Kadett chegaria apenas em 1962, mas também contava com diversos trunfos para a sua época. Um deles era o espaço a bordo, perfeito para quatro pessoas, mas também na bagageira, com uma capacidade acima da média. Detalhes como a tampa do depósito de combustível no exterior do carro. O motor de um litro e 40 cavalos era arrefecido a água e também passou a estar presente na carrinha, apresentada um ano mais tarde: a primeira Kadett Caravan.

PUB

Com a terceira geração do Kadett veio também um pouco mais de espaço e linhas mais desportivas, que eram acompanhadas de uma motorização mais potente. O Kadett B foi produzido entre setembro de 1965 e julho de 1973, comercializado em cerca de 120 países e somou 2,6 milhões de unidades produzidas.

Com o Kadett C, as formas modernizaram-se e surgiu uma nova suspensão dianteira de triângulos duplos, que melhoravam a dinâmica da tração traseira. Estavam disponíveis diversos formatos de carroçaria, com duas ou quatro portas e até uma versão mais desportiva (GT/E), com um motor de 1,9 litros e 105 cavalos de potência, que levava os 900 quilos do Kadett até aos 184 km/h.

PUB

Na geração seguinte do Kadett, a tração passou para as rodas dianteiras e o formato da carroçaria evoluiu, bem como a família de motores e o seu comportamento dinâmico. Mas não ficou esquecido um habitáculo ainda mais espaçoso e inovações técnicas como travões de disco ventilados ou a nova direção e uma suspensão mais baixa.

A última geração do Kadett chegou a 1984 com um visual muito diferente e muito mais aerodinâmico. Foi eleito Carro do Ano no seu ano de lançamento e foi o Opel mais vendido de sempre até esse momento. A versão mais desportiva estreava a sigla GSi, mas também um motor 2.0 de 16 válvulas, com 150 cavalos de potência.

A geração F foi a primeira que não incluía o nome Kadett e sim o Astra, tal como o seu irmão britânico. Foi produzido entre 1991 e 1997 e foi o Opel mais vendido de sempre, com um total de 4,1 milhões de unidades. O desenho moderno continuava aliado a um habitáculo espaçoso, mas também estavam incluídos novos elementos de segurança passiva e motorizações com catalisador.

PUB
PUB

O Astra G chegou na primavera de 1998 com três formatos de carroçaria, ainda antes da versão de três volumes, de um coupé e de um descapotável. A carroçaria em aço galvanizado oferecia mais espaço a bordo, fruto de uma maior distância entre eixos, mas também uma maior bagageira.

Com o Astra H, a Opel oferecia uma gama com 12 motorizações, dos 90 aos 240 cavalos e um total de sete formatos de carroçaria. Trazia equipamentos de topo a uma gama mais acessível, tais como o chassis adaptativo ou o sistema de iluminação com faróis direcionais. Somou cerca de 2,7 milhões de unidades comercializadas entre 2004 e 2009.

A geração J do Astra continuava a trazer equipamentos dos topos de gama para um segmento mais acessível, tal como a câmara de reconhecimento de sinais de trânsito ou os assentos dianteiros com uma ergonomia mais correta e reconhecida com o selo de qualidade da AGR.

Em 2015, esta ideia ficou mais refinada e apesar de não parecer muito diferente, o Astra continuou a evoluir e a inovar, com uma redução de peso, uma família de motores mais eficiente e um habitáculo mais amplo. Aliado aos equipamentos de segurança mais modernos e a sistemas como o de iluminação em LED, o Astra K foi eleito o Carro do Ano Europeu em 2016.

PUB

O próximo passo na já longa história do familiar compacto da Opel acontece este ano com a chegada no novo Astra e claro que a inovação inevitável tem a ver com a eletrificação. Esta será a primeira geração deste modelo a incluir uma versão elétrica na sua gama, bem como uma híbrida plug-in, além das habituais motorizações a gasolina e diesel, com caixas manuais ou automáticas. Mas este será também o Astra que mais rompe com o seu antecessor em termos de desenho, uma vez que a Opel vai apresentar a sua nova e mais moderna imagem, preparadíssima para dar continuidade a esta história.

PUB
Continuar a ler

RELACIONADOS

Museu Opel Classic passa a oferecer visitas guiadas virtuais

O último Opel Astra com motores de combustão chega em 2022. Conheça-o aqui!

Opel torna-se 100% elétrica em 2028, entra no mercado chinês e lança o Manta-e

Renovado Opel Grandland chega no outono

COMPUTADOR DE BORDO

Tem a certeza de que faz o transporte de crianças como deve ser?

Detetores de radar de velocidade à venda na internet. Legais ou ilegais?

Governo alega “questões técnicas”: veículos elétricos sem direito a descontos nas SCUT

VEJA MAIS

MAIS LIDAS