História das carrinhas Peugeot já começou há mais de 70 anos

  • 5 set, 11:00

A chegada da nova 308 SW é o momento perfeito para recordar um pouco da história da marca francesa nos modelos com este formato.

A nova geração da Peugeot 308 SW foi recentemente apresentada e promete inovar bastante no seu segmento, mas enquanto não chegamos ao início do próximo ano para a conhecermos pessoalmente, podemos aproveitar para relembrar a história das carrinhas da marca francesa que já começou há mais de 70 anos com a 203 Break.

Mesmo no final da década de 40, o formato carrinha era algo de que os fabricantes ainda não se tinham lembrado, pelo que a Peugeot teve de ser audaz nesta aposta de lançar a versão carrinha do seu 203. Mas se é para apostar, então que seja em grande e a marca francesa acabou mesmo por apresentar duas versões deste modelo, uma mais vocacionada para uma utilização familiar, a Familiale, e outra mais indicada para uma utilização profissional, que batizou de Commerciale.

PUB

O sucesso foi grande e a procura por um modelo com estas características superou as expetativas, motivando a marca francesa a continuar a dinamizar esta categoria. Por essa mesma razão, em 1956, a Peugeot lançou a 403 Break, também com as versões Familiale e Commerciale e em 1962 a 404 Break, que substituiu o anterior modelo. O Peugeot 203 Break ficou em comercialização até ao ano 1965, altura em que foi substituído pelo mais moderno 204, também disponível na versão break.

PUB

O sucesso deste formato demonstrou ter vindo para ficar e nos anos 70 vimos nascer modelos como a Peugeot 304 ou mesmo a 504 Renforcé, de suspensão reforçada para poder transportar mais carga e que podia ter uma lotação máxima de sete lugares.

PUB

Na década de 80 surgiu o inovador Peugeot 405, com diversos formatos de carroçaria incluindo a Break e uma versão de competição que nem falhou a rampa de Pikes Peak, mas também o 504, cuja carrinha não dispensava uma versão de oito lugares, uma versão mais desportiva com a sigla GTI e até um formato de suspensão elevada mais adaptado ao todo-o-terreno equipado com tração integral.

Os anos 90 viram nascer a Peugeot 306 Break e a 406 SW e já no novo milénio conhecemos novas ideias para o mundo das carrinhas: a 206 SW com um formato mais compacto e a 307 SW com diversas ideias inspiradas no mundo dos monovolumes, com sete lugares, tabuleiros retráteis nas costas dos assentos dianteiros e um enorme teto panorâmico em vidro numa altura em que este elemento ainda era algo muito raro nos automóveis de grande produção.

PUB

Mais recentemente, foram as versões Break do Peugeot 308 e do Peugeot 407 que mantiveram o formato de carrinha no ativo. E com a nova 508 Break, até já temos uma opção de caráter mais desportivo, a PSE (Peugeot Sport Engineered), que inclui um sistema híbrido capaz de lhe oferecer uma potência máxima de 360 cavalos.

Com a nova Peugeot 308 SW, a marca francesa vai voltar a inovar em termos estilísticos, mas também nos mais práticos. E no novo modelo a distância entre eixos aumenta cerca de 55 milímetros face à berlina, o que se traduz em mais espaço a bordo para os passageiros, mas também num desenho mais equilibrado e com diversas vantagens na componente da dinâmica.

Será certamente um modelo digno de dar continuidade a uma história carregada de conteúdo e com muito futuro pela frente, uma vez que o formato das carrinhas ainda continua a ser um dos mais desejados.

PUB
Continuar a ler

COMPUTADOR DE BORDO

Tem a certeza de que faz o transporte de crianças como deve ser?

Detetores de radar de velocidade à venda na internet. Legais ou ilegais?

Governo alega “questões técnicas”: veículos elétricos sem direito a descontos nas SCUT

VEJA MAIS

MAIS LIDAS