Volvo XC40 PHEV: SUV robusto que é poderoso pela calada | AUTOPORTAL
PUB

Volvo XC40 PHEV: SUV robusto que é poderoso pela calada

Ensaio ao SUV mais pequeno da Volvo na sua versão híbrida plug-in

O Volvo XC40 Recharge Plug-in Hybrid tem vários pontos por onde se lhe pode pegar na descrição dos argumentos que deixam o SUV mais pequeno da marca sueca apetecível como se tem mostrado, pois esses argumentos são distintos para além de variados.

O espectro pelo qual o XC40 PHEV passa com distinção é vasto e inclui tanto a condução em zero emissões quer de gases poluentes quer de ruído, assim como o conforto do espaço ou a capacidade de um grupo propulsor que quando é chamado a mostrar-se tem um ronco bem poderoso.

O XC40 Recharge plug-in tem o motor a gasolina de 1,5 litros de 3 cilindros com 180 cv e 265 Nm com um motor elétrico com 82 cv e 160 Nm associado oferecendo respetivos potência e binário máximos de 262 cv e 465 Nm e com uma bateria de 10,7 kWh de capacidade (colocada ao centro do carro sem retirar espaço) permitindo uma autonomia de 45-50 km.

Até se chegar ao limite, deixemo-nos levar pela imensa suavidade da condução em regime exclusivamente elétrico no programa Pure. O silêncio domina o generoso espaço interior envolvente do mais pequeno SUV Volvo. Querendo poupar carga para mais tarde, muda-se de programa e seleciona-se a função ‘hold’ para reservar energia.

Rodando em Hybrid – que é o programa por defeito – sem o ‘hold’ selecionado, o XC40 plug-in irá também ‘optar’ pelo motor elétrico em baixos andamentos na mesma suavidade silenciosa em tom de baixo consumo recorrendo ao motor de combustão quando o pisar do acelerador o justificar.

Em percurso urbano e suburbano em hora de ponta (com tráfego fluido) a rodar em modo híbrido obtivemos consumos de 0,9 l/100 km. E, em estrada, novamente sem acelerações que perturbassem a tranquilidade desfrutada fizemos 0,5 l/100 km.

Sem carga, na mesma hora de ponta dentro da cidade continuando a rodar sem filas de trânsito, os consumos subiram a 7,4 l/100 km. E usando a função ‘charge’ para carregar a bateria e colocando o seletor da caixa de velocidades no modo B para reforçar a regeneração de energia aumentámos o gasto em praticamente 2 litros.

Saindo para a estrada, selecionando novamente o modo D, o consumo desceu para baixo dos 7 l/100 km. Mas, prescindindo da tranquilidade Hybrid em caminhos mais sinuosos e aumentando a dinâmica da condução sem poupanças no programa Power, chegou-se perto dos 11 l/100 km.

Enveredando por caminhos de terra, os consumos vão obviamente subir ainda mais. Mas a maior pena neste ambiente está no XC40 Recharge PHEV dispor apenas de tração dianteira e não ter direito ao programa off-road usufruindo em pleno do divertimento no meio do pé.

Voltando por aqui nestas linhas à estrada, a pena acaba e dá-se largas ao prazer da condução neste SUV com caixa Geartronic de 7 velocidades sem reparos, assim como relativamente à direção seja qual for o programa. Com uma excelente visibilidade na condução, incluindo a traseira, pontificando os dois grandes espelhos retrovisores, o programa Power é como aponta o seu nome: poderoso.

O XC40 híbrido plug-in ruge bem e corresponde ainda melhor na força disponibilizada para desfrutar com competência do que a estrada nos oferece com uma estabilidade exemplar curvando impassível o seu o corpo já considerável mantendo toda a elegância a mover-se sem sair da linha.

Acelerando para vias mais rápidas, percursos em autoestrada garantindo os 120 km/h custaram-nos 8,7 l/100 km no programa Hybrid (com ‘hold’ à eletricidade) e 10,7 l/100 km em Power (também só com o motor T5). Experimentando o ‘charge’ com o B selecionado, os consumos foram idênticos. E recarregámos bateria.

A maior desilusão com o modo B foi mesmo ser uma assistência à regeneração não tão eficaz como pensámos (em não tantos quilómetros assim feitos, deve também interrogar-se?). Mas o que causou maior estranheza acabou por ser a travagem regenerativa pouco explícita na sua ativação e implicando um carregar bem mais pesado no pedal (comparativamente) para a travagem convencional, numa passagem entre sistemas que se faz de forma pouco dócil até se ganhar o hábito.

À parte o desconforto desta falta de hábito inicial que pode ser sentida do condutor aos passageiros (dependendo do tempo que se tomar a apanhar o jeito porque, apanhado, deixa de ser uma qustão), o conforto para viagens mais longas é inatacável começando também numa ergonomia à prova de saturações físicas para o condutor, com extensão no à vontade para os passageiros.

O generoso espaço interior que inclui muita arrumação nas portas (com exceção para o porta-luvas) prolonga-se até à bagageira de 460 litros, com um fundo falso para mais acondicionamentos.

Os materiais de boa qualidade atraentes para o toque evitando ‘partes a descoberto de plástico’ (como os forros das portas) conjugam-se com o estilo minimal interior escolhido pela Volvo na correspondência com o design dos seus modelos.

Neste Volvo XC40 PHEV temos surpresas em pormenores como uma gaveta debaixo do banco, bases para garrafas na lateral dos bancos traseiros e esta versão testada com equipamento R-Design ganha o caráter mais desportivo da gama, como no caso do volante (que tenta não complicar nos botões).

As funcionalidades à disposição voltam a ser muitas, mas faltarão alguns atalhos na consola, como também botões para a climatização remetendo a larga maioria das funções para o grande ecrã central tátil, ao estilo Volvo tablet na vertical ladeado pelas saídas da climatizaçãos.

O infoentretenimento é rico em opções, mas é preciso algum tempo de ‘ginástica mental’ para entrar na lógica de passagens entre menus. Mas os assistentes à condução presentes nesta versão, como os de manutenção na faixa de rodagem, de estacionamento, de reconhecimento de sinalização ou de prevenção de colisão passam sem reparos.

O Volvo XC40 Recharge Plug-in Hybrid R-Design tem um preço inicial de 51.684 euros. Esta versão ensaiada com reforços como o pack dos confortáveis bancos em couro e Alcantara, a bonita pintura em branco pérola ou as jantes de 20’’ com Pirelli P Zero 245/45 R20 eleva-se aos 58.469 euros.

  • TEMAS:
  • Volvo

  • XC40

  • Recharge

Veja mais