Honda apresentou a nova CBR650R

  • Redação Autoportal
CBR650R é a nova aposta da Honda

A Honda apresentou no Salão de Milão a nova CBR650R que vem substituir em 2019 a popular CBR650F na gama da marca nipónica, com um estilo novo e mais agressivo, oferecendo um caráter de performances melhoradas para a estrada.

Apesar de o estilo da nova CBR650R ser bastante inspirado na CBR1000RR, as linhas distintas do novo modelo de média cilindrada conferem-lhe um "look" agressivo muito próprio, especialmente na parte superior da carenagem frontal.

A posição de condução foi ajustada de forma a mover o peso do condutor mais para a frente e mais para baixo. Todas as luzes são agora de LEDs e o novo painel de instrumentos LCD inclui um indicador de mudança engrenada e outro que alerta o condutor para engrenar uma mudança mais alta.

O motor tetracilíndrico de 650 cm³ tem um pico de rotação mais elevado e debita mais potência e binário.

A redução de 6kg no peso traduz-se num aumento de 8% na relação peso/potência. Outra das novidades apresentadas nesta CBR650R  é a forquilha Showa USD SFF (Separate Function Fork - Forquilha de Funções Separadas) de 41 mm e afinação da pré-carga da mola e do amortecimento em extensão. Com 7 níveis de afinação da pré-carga, o mono-amortecedor de um só tubo trabalha diretamente no braço oscilante em alumínio fundido formado por gravidade. O ângulo da coluna da direção é de 25,5° e o eixo de arraste (trail) vale 101 mm, para uma distância entre eixos de 1.450 mm.

Já os travões estão dotados de pinças dianteiras radiais de quatro êmbolos que trabalham em discos ondulados flutuantes de 310 mm de diâmetro; a travagem é complementada por um disco traseiro de 240 mm e pinça de êmbolo simples. O ABS de dois canais é equipamento de série.

Para 2019, a embraiagem é do tipo assistida e com função de deslizamento, facilitando a engrenagem de mudanças mais altas e permitindo reduções rápidas e sucessivas; o novo sistema HSTC de controlo de binário variável da Honda mantém a tração da roda traseira.

Este modelo também vai estar disponível com um kit de conversão para 35 kW, tornando-o apto para condutores com carta A2.

Comentários

Veja mais