PUB

Eis o novo Dacia Sandero: tudo o que precisa de saber sobre a mudança

  • Virgílio Machado
Dacia Sandero foi renovado e chega com estilo mais arrojado
Novo Sandero está mais moderno e refinado
Terceira geração do Sandero conta com a mesma plataforma dos Renault Clio e Captur

A Dacia renovou o Sandero, o modelo mais comprado por clientes particulares desde 2017 que vai entrar na sua terceira geração, prometendo manter a sua conhecida simplicidade e fiabilidade.

O novo Sandero utiliza a plataforma modular CMF-B do grupo Renault, que é utilizada no Clio e no Captur, contudo com algumas adaptações de forma a manter um preço acessível, uma das imagens de marca da Dacia.

O renovado Sandero vai continuar disponível no formato hatchback e na versão crossover, o Sandero Stepway, e está pronto para chegar ao mercado com uma imagem mais moderna e com novos argumentos tecnológicos, mas disposto a manter-se com a melhor relação custo/benefício do mercado, o que faz deste modelo uma referência.

Na apresentação internacional, que teve lugar em Paris, foi fácil perceber que o novo Sandero conta com vias mais largas, o que lhe confere uma imagem mais larga e que as suas linhas gerais são bastante fluidas, graças a um para-brisas mais inclinado, ao tejadilho mais baixo (-1 cm) e à linha de tejadilho recuada. A altura ao solo permanece inalterada (133 mm com o automóvel carregado).

Destaque igualmente para as óticas dianteiras e traseiras que inauguram uma nova assinatura luminosa em forma de Y.

À frente como atrás, uma linha horizontal une os dois grupos óticos e prolonga-se nas respetivas linhas LED, contribuindo para deixar a impressão de que estamos perante um automóvel mais largo. Os faróis de LED são de série em todos os níveis de acabamento.

Ainda em matéria de design, destaca-se igualmente os novos puxadores das portas que são mais ergonómicos e modernos.

Na maioria das versões, o comando de abertura do porta-bagagens é elétrico e foi deslocado para a parte inferior do portão traseiro, favorecendo a estética e o carácter prático.

No interior destaca-se o aumento do espaço ao nível das pernas dos passageiros traseiros a ser agora mais generoso com um aumento de 42 mm face à geração anterior.

Os bancos foram redesenhados e passam a dispor de um apoio de cabeça tipo virgula, que encontramos na nova geração dos Rnault Clio e Captur.

Já a bagageira surge com um aumento em 8 litros face à geração anterior, passando a contar com 328 litros de capacidade, a que se juntam 21 litros de espaços de arrumação no interior do novo Sandero, mais 2,5 litros em relação à versão anterior.

Para melhorar a posição de condução, o condutor pode agora ajustar o banco em altura e o volante em altura e em profundidade, bem como dispor de um apoio de braço individual ou central.

Nota ainda para a direção com assistência variável que é 100% elétrica para oferecer um conforto acrescido, nomeadamente nas manobras mais exigentes e de estacionamento e uma alavanca da caixa de velocidades mais curta.

Qualquer que seja o nível de acabamento, o equipamento de série inclui um suporte para smartphone (amovível consoante as versões), um ecrã de computador de bordo, comandos do regulador e do limitador de velocidade no volante e ativação automática dos faróis.

Disponíveis de série ou em opção estão um novo sistema de ar condicionado automático com indicação digital, travão de estacionamento elétrico, câmara de marcha-atrás, sistema de ajuda ao estacionamento dianteiro e traseiro e ativação automática dos limpa-vidros.

No que toca ao sistema multimédia, o Sandero vai estar disponível com três sistemas distintos: Media Control, Media Display e Media Nav.

No Media Control, o smartphone, instalado num suporte dedicado, transforma-se num sistema multimédia independente, beneficiando para isso da nova aplicação gratuita Dacia Media Control e a uma ligação Bluetooth ou por USB. Os comandos do rádio estão acessíveis no volante e num satélite de comandos por trás do volante.

Este equipamento multimédia inclui dois altifalantes, uma ligação Bluetooth e USB e um ecrã digital TFT de 3,5 polegadas colocado entre os mostradores, onde são exibidas também as informações do rádio.

Já Media Display conta com um ecrã tátil de 8 polegadas, em posição elevada, para oferecer a melhor visibilidade e ergonomia. A interface intuitiva dispõe de conectividade Bluetooth e é compatível com os sistemas para smartphone Android Auto e Apple CarPlay. Um inédito separador «veículo» permite aceder às regulações de alguns dos sistemas de ajuda à condução.

Por fim, com o Media Nav, o sistema multimédia que beneficia da navegação integrada a bordo e da conectividade sem fios para Apple CarPlay e Android Auto. O sistema de som dispõe de 6 altifalantes.

Uma nota ainda para a maior diferenciação que passa a existir entre o Sandero e o Sandero Stepway, com destaque para uma suspensão mais alta, as habituais proteções em redor da carroçaria e dos para-choques com visual ‘off-road’, para além de um novo capot com formato mais musculado, bem como por aletas curvas logo acima das luzes de nevoeiro e para-choques redesenhados que integram um resguardo em cor de metal, que permitem ao Stepway um visual moderno e mais ao jeito de um crossover.

Já as barras de tejadilho são modulares e transformam-se numa galeria de tejadilho, cuja capacidade de carga é de 80 kg, num sistema prático e simples de montar.

No interior, os estofos com logótipo Stepway estão decorados com inserções em material têxtil e listas laranja nos contrafortes das portas e do painel de bordo.

Em matéria de motorizações, a Dacia deixou claro que as novas versões do Sandero não vão contar com motores Diesel, nem com blocos híbridos ou elétricos por uma questão de custos.

Desta forma o novo Sandero vai estar disponível com três tipos de motorização: o bloco SCe 65 de 3 cilindros a gasolina de 1,0 litros atmosférico, motor de entrada de gama, associado a uma caixa manual de 5 velocidades, que não está disponível para o Stepway.

Para além disso, existe ainda uma proposta equipada com um motor a gasolina TCe 90 de 3 cilindros 1,0 litros turbocomprimido, combinado com uma caixa manual de 6 velocidades ou em alternativa uma caixa automática do tipo CVT.

Finalmente o TCe 100 ECO-G, um novo bloco de 3 cilindros 1,0 litros turbocomprimido, bi-fuel, a gasolina e GPL, que está associado a uma caixa manual de 6 velocidades.

Os três blocos estão disponíveis com o sistema Stop&Start que pode ser desativado manualmente, através do botão situado no centro do painel de bordo.

No que toca a sistemas de apoio à condução, os novos Sandero e Sandero Stepway estarão equipados com limitador de velocidade, sistema de travagem ativa de emergência, sensor de ângulo morto, sistema de ajuda ao estacionamento com 4 radares dianteiros, 4 radares traseiros, uma câmara traseira e linhas de orientação dinâmicas, para além do sistema de ajuda ao arranque em subida.

A Dacia não revelou os preços da terceira geração do Sandero e Sandero Stepway, que vão chegar ao mercado no final do ano, o que vai acontecer mais perto do lançamento dos novos modelos.

  • TEMAS:
  • Dacia

  • Sandero

  • Sandero Stepway

Veja mais