Testámos o ágil Smart ForFour EQ: um urbano 100% elétrico

  • Virgílio Machado
Novo Smart é uma experiência de condução puramente elétrica

A eletrificação do setor automóvel continua a um ritmo imparável e a aposta em soluções capazes de satisfazer a mobilidade nas cidades é cada vez maior.

O Smart é bem o exemplo disso já que desde o seu surgimento, o conceito de veículo urbano da marca converteu-se numa das principais referências da indústria automóvel.

A nova proposta da marca ganha agora um renovado protagonismo com o surgimento do Smart EQ, com uma motorização única 100% elétrica, até porque a Smart tornou-se no primeiro fabricante de automóveis do mundo a abandonar os motores de combustão e a adotar propulsores elétricos em toda a sua gama de modelos.

A versão ForFour, ou seja o modelo der quarto portas, não apresenta muitas novidades em matéria de design, apostando antes numa imagem mais amadurecida, com guarda-lamas pronunciados e robustos, secções dianteira e traseira com projeções reduzidas e possibilidade de personalização do visual.

Num primeiro olhar exterior percebemos de imediato que estamos perante um Smart, dotado de faróis Full-LED disponíveis como opção, e as redesenhadas grelhas do radiador combinam perfeitamente com os mais recentes modelos de demonstração.

Na traseira destacam-se os faróis, com tecnologia LED e o pára-choques traseiro que também foi redesenhado.

Ao entrarmos no habitáculo do novo Smart ForFour EQ percebemos que poucas alterações foram feitas, contudo a consola central foi redesenhada e há um novo sistema de infoentretenimento com ecrã central de 8 polegadas que foi pensado para estar integrado com o smartphone do condutor para a realização das mais diversas tarefas.

Os bancos dianteiros do ForFour são bastante confortáveis e contam com apoio de cabeça integrado. Para além disso é fácil encontrar uma posição de condução confortável.

Nos bancos traseiros, o ForFour tem menos espaço, mas o suficiente para as pequenas voltas do dia a dia, como levar os miúdos à escola ou as deslocações de casa para o trabalho.

De referir que o novo Smart ForFour EQ conta com três tipos de acabamentos, Passion, Pulse e Prime , além de vários pacotes de equipamentos opcionais.

De série pode contar com linha Passion que inclui, entre outros, acabamentos em pele, ar condicionado, jantes em liga leve, retrovisores elétricos e aquecidos, banco e coluna de direção regulável em altura.

Quando nos sentamos ao volante deste elétrico percebemos porque razão o Smart é o ‘rei’ da cidade já que a facilidade de manobra em ruas mais estreitas e a sua agilidade é verdadeiramente surpreendente.

Beneficiando de um motor elétrico de 60 kW (82 cv), um binário de 160 Nm e uma caixa automática, o Smart ForFour EQ conta com um notável dinamismo e aceleração que permite alcançar uma velocidade máxima de 130 km/h e acelerar dos 0 aos 100 km/h em 12,7s.

A bateria de íons de lítio conta com um a capacidade de 17,6 kWh e uma autonomia de 153 km, que podem variar de acordo com o estilo da condução de cada condutor de modo a tirar vantagem da regeneração da bateria em maior ou menor grau.

É bom lembrar que a condução de veículos elétricos acaba por obrigar os condutores a um novo estilo de condução, nomeadamente os pequenos citadinos, de forma a conseguir regenerar energia durante as travagens ou desacelerações de forma alcançar uma maior autonomia possível.

Para além disso a autonomia do Smart ForFour, revelou-se mais do que suficiente para as deslocações diárias de cerca de 40 km diários que realizamos, com a necessidade de carregamento apenas em casa ao final de cada dia.

Ou seja a autonomia é mais do que suficiente para uma utilização em ambientes urbanos e interurbanos.

Em matéria de carregamento da bateria o Smart oferece várias alternativas. Com o carregador de bordo opcional de 22 kW utilizado com uma função de carregamento rápido, a bateria passa dos 10% a 80% da capacidade em menos de 40 minutos.

No caso do ensaio efetuado, ligámos o Smart a uma tradicional tomada caseira e necessitámos de cerca de 6 horas para uma nova saída rumo ao trabalho.

Ao volante percebemos de imediato que o Smart não é talhado para corridas, mas apesar disso este pequeno citadino é bastante divertido de conduzir, nomeadamente quando carregamos no acelerador e percebemos que a resposta é imediata.

No entanto a maior virtude do Smart está nos percursos citadinos, onde o Smart se sente como peixe na água, e onde conseguimos alcançar boas médias e regenerar energia com facilidade.

Contudo se optarmos por circular com o ForFour em autoestrada, ou mesmo numa marginal de Cascais sem trânsito durante a noite é bom que se lembre que carregar no acelerador vai fazer com que a autonomia caia vertiginosamente e não se admire se o controlo de estabilidade aparecer acionado em curvas mais apertadas.

Por isso o nosso conselho é mesmo, andar dentro das velocidades permitidas por lei, realizar uma condução suave e defensiva, usufruir da condução deste Smart amigo do ambiente e aprender a poupar a energia disponível e optar pelo modo de condução "Eco", que reduz o ar que sai da climatização, limita a velocidade máxima e a capacidade de resposta e aumenta a capacidade de travagem regenerativa, o que no inicio estranhamos mas rapidamente nos habituamos.

Em matéria de preços a versão de entrada do Smart ForFour EQ arranca nos 23.745 euros, preço que pode aumentar em função dos extras que optarmos por instalar no Smart.

  • TEMAS:
  • Smart ForFour EQ

  • Teste

  • Citadino

Veja mais