Polestar chega aos Estados Unidos

  • Redação Autoportal
Polestar 1
Polestar 1

A Polestar, nova marca de performance eléctrica do Volvo Car Group, confirma o seu posicionamento e estratégia de lançamento no mercado norte-americano.

Ao assumir-se como uma start-up para automóveis electrificados a Polestar pretende oferecer aos seus clientes uma experiência moderna e totalmente digital.

 “Ao lançarmos uma marca automóvel totalmente nova temos a oportunidade de avaliar o que os clientes mais e menos apreciam acerca da propriedade das viaturas. Como uma marca de performance eléctrica, queremos maximizar o prazer de condução. Para além de bonitos, os automóveis Polestar estarão equipados com a mais moderna tecnologia e terão uma excelente condução", afirmou Thomas Ingenlath, CEO da Polestar..

“O cliente poderá pesquisar, configurar e encomendar o seu automóvel online. Ao mesmo tempo poderá escolher o nosso modelo de subscrição inovador que incluirá, num único pagamento mensal, os seguros, as manutenções e outros tipos de vantagens como por exemplo entregas no automóvel.Sabemos que a maior parte das pessoas gosta de ver primeiro o automóvel antes de proceder a uma encomenda.  Por isso existirá o Showroom Polestar – um espaço interactivo situado no centro das cidades no qual as pessoas serão aconselhadas por especialistas de produto que não farão qualquer pressão de vendas pois estarão totalmente focalizados na marca e em fornecer apenas a informação necessária”, explicou o mesmo responsável. 

O primeiro modelo da Polestar foi revelado em Outubro de 2017: o Polestar 1 é um modelo GT Hybrid de alta performance, com 600cv e 1.000 Nm de binário. Este coupé consegue percorrer 150 km em modo puramente electrico (o melhor valor do mercado para um modelo com este tipo de motorização). A sua produção será iniciada no próximo ano no novo Polestar Production Centre, cuja conclusão está para breve. O primeiro ano de produção já está vendido com 200 unidades a serem destinadas ao mercado americano.

O Polestar 2 será revelado no início de 2019 e a sua produção será iniciada um ano mais tarde.

Comentários

Veja mais