Mercedes-AMG desenvolve turbos para os carros de produção com tecnologia da F1

  • Redação Autoportal
  • 17 jun 2020, 17:20

Em Affalterbach desenvolve-se o turbocompressor de gases de escape com acionamento elétrico

A Mercedes-AMG está a trabalhar o caminho da eletrificação para a geração futura de carros de produção e esse desenvolvimento está a ser feito com recurso à tecnologia que já é utilizada na Fórmula 1.

A tecnologia desenvolvida com a unidade MGU-H dos motores híbridos dos monolugares da F1 vai ser utilizada nos Mercedes-AMG de produção com a implementação do turbocompressor de gases de escape com acionamento elétrico.

PUB

Na F1, o MGU-H é a unidade que recupera os gases de escape do turbo convertendo-os em energia elétrica e gerando mais potência. No caso dos Mercedes-AMG, a geração de mais potência não será o objetivo, mas, como informa a Mercedes, os engenheiros de Affalterbach estão a trabalhar a tecnologia para melhorar o tempo de resposta do motor e diminuir o atraso do turbo.

A tecnologia oriunda da F1 cujos desenvolvimentos para a produção em série já se encontram na fase final “resolve os conflitos de objetivos entre um turbocompressor pequeno, de resposta rápida e com uma potência relativamente baixa, e um turbocompressor de grandes dimensões, com uma potência elevada, mas que, por outro lado. pode revelar um atraso na resposta às solicitações”.

PUB

Em destaque no inovador sistema de sobrealimentação está um pequeno motor elétrico, com cerca de 4 centímetros, integrado diretamente no veio entre a turbina do lado do escape e a turbina do compressor do lado da admissão de ar. Este motor elétrico controlado eletronicamente aciona o veio do compressor antes de o turbocompressor receber os gases de escape na turbina.

PUB

A eletrificação do turbocompressor melhora significativamente a rapidez de resposta desde o ralenti até à rotação máxima do motor. O designado atraso do turbo – atraso na resposta de um turbocompressor convencional – é, assim, eliminado pelo motor elétrico. Em resultado, o motor de combustão responde de forma ainda mais espontânea às solicitações do pedal do acelerador, enquanto todo o comportamento na condução é significativamente mais dinâmico e ágil.

Além disso, a eletrificação do turbocompressor permite ainda obter um binário mais elevado a baixa rotação aumentando também a agilidade e melhorando a capacidade de aceleração a partir da condição de parado – até nas situações em que o condutor retira o pé do acelerador ou aciona os travões, a tecnologia do turbocompressor de acionamento elétrico pode manter continuamente a pressão de sobrealimentação de modo a garantir em permanência uma resposta imediata.

PUB

O turbocompressor atinge uma rotação de até 170,000 rpm e podendo ser acionado através de um sistema elétrico de bordo de 48 V. Turbocompressor, motor elétrico e eletrónica de potência estão ligados ao circuito de refrigeração do motor de combustão para controlar permanentemente a ótima temperatura de funcionamento nos vários regimes.

Continuar a ler

RELACIONADOS

Mercedes anuncia preços para o híbrido B 250e e para os GLA AMG

Conheça os preços do novo Mercedes Classe E

Eis os novos Classe E Coupé e Cabrio já com versões Mercedes-AMG

Mercedes revela a tecnologia dos seus novos volantes e lembra a sua história

Novo Mercedes GLE 350de 4Matic já tem preços

COMPUTADOR DE BORDO

Veja como deve circular nas rotundas de forma correta (ciclistas também)

Tem a certeza de que faz o transporte de crianças como deve ser?

Detetores de radar de velocidade à venda na internet. Legais ou ilegais?

VEJA MAIS

MAIS LIDAS