PUB

Citroën dá sete versões ao novo C4 e 350 km de autonomia ao elétrico ë-C4

Novos Citroën C4 e ë-C4 chegam ainda em 2020
Novos Citroën C4 e ë-C4 mostram-se em detalhe
Marca francesa lança SUV Coupé com versão 100% elétrica em estreia no segmento C

A Citroën apresentou nesta terça-feira em detalhe o novo C4, que chegará ao mercado já neste ano. O novo modelo da marca francesa para o segmento C apresenta-se com seis versões entre os motores a gasolina e a diesel (há uma sétima para fora da Europa) e faz a estreia da versão 100% elétrica: o ë-C4.

O Citroën ë-C4 é o expoente deste novo modelo ao unir as duas linhas de força lançadas pela marca francesa com este carro: a estreia de um veículo 100% elétrico no segmento C e a transformação do seu modelo C4 num SUV coupé – em que a silhueta e as rodas grandes assumem relevo - adotando um novo design disruptivo com a manutenção do conforto que é sua imagem.

O novo ë-C4 tem uma motorização elétrica com 100 kW (136 cv) de potência e um binário de 260 Nm – no programa de condução Sport, acelera dos 0 aos 100 km/h em 9.7 segundos e tem uma velocidade máxima de 150 km/h. Com uma bateria de iões de lítio de 50 kWh de capacidade, o ë-C4 tem uma autonomia (em ciclo WLTP) de 350 km (a bateria está coberta por uma garantia de 8 anos ou 160.000 km para 70% da sua capacidade de carregamento).

Nos diferentes modos de carregamento que oferece, o SUV coupé elétrico consegue uma carga de 80% em meia hora quando feita num carregador de 100 kW de carregamento rápido. No que respeita a carregamentos domésticos, as fontes de alimentação são duas: em Wall Box de 32 A, o carregamento é feito em 7h30 com corrente monofásica ou em 5h com corrente trifásica com carregador opcional de 11 kW; em tomada doméstica normal (‘standard’), o carregamento excede as 24h, ou é reduzido para as 15h se for numa tomada de 16 A do tipo ‘Green’up’ Legrand.

Com a possibilidade de carregamentos programados ou diferidos, o Citroën ë-C4 dispõe de outras características respeitantes ao armazenamento de energia que respeitam à condução (com os programas Eco e Normal também disponíveis), como é a função ‘Brake’ para aumentar a desaceleração do veículo.

O novo Citroën C4 com motores de combustão divide-se em seis opções sendo quatro delas a gasolina e outras duas diesel. As quatro motorizações a gasolina contam com os motores PureTech de 100 cv e de 130 cv com caixa manual de 6 velocidades (CVM6), PureTech de 130 cv com caixa automática de 8 velocidades (EAT8) e PureTech de 155 cv EAT8 – uma quinta versão PureTech 155 EAT8 destina-se a mercados fora da Europa. As duas versões diesel contam com o motor BlueHDi de 110 cv CVM6 e BlueHDi de 130 cv EAT8.

Assente na plataforma CMP do Groupo PSA, o novo modelo tem 4.360 mm de comprimento, 1.800 mm de largura e 1.525 mm de altura. A distância entre eixos é de 2.670 mm e a elevação em relação solo de 156 mm beneficia o campo de visão. A bagageira de 380 litros oferece dois níveis na arrumação. A assinatura luminosa 100% LED em “V” marca a estética da frente à traseira passando por um perfil entre linhas suaves e musculadas que tanto favorece a aerodinâmica como a robustez.

O interior dos C4 e ë-C4 tem a marca do programa Citroën Advanced Comfort. O conforto é anunciado desde os bancos já característicos ao ecrã tátil de 10’’ de alta definição e sem rebordos – centro nevrálgico das seis tecnologias de conetividade – posicionado num largo tabliê onde está uma novidade singular: o ‘Smart Pad Support Citroën’ onde o passageiro pode apoiar um tablet.

Mas também não se pode falar de conforto Citroën sem referir as suspensões com batentes hidráulicos progressivos características da marca. Já o grande teto de abrir panorâmico (em vidro) elétrico inunda de luz um habitáculo onde se promove o ‘efeito casulo’ com seis atmosferas interiores possíveis – para o exterior, os novos C4 e ë-C4 permitem 31 combinações de decoração exterior e oferecem uma gama de jantes das 16 às 18’’.

O painel de instrumentos digital HD sem moldura é complementado por um ‘head-up display’ a cores, numa das 20 tecnologias de ajuda à condução que o novo Citroën oferece. Neste plano das chamadas ‘passivas’ ganham destaque a ajuda ao estacionamento lateral até à visão 360º ou o assistente de estacionamento e a iluminação estática nos cruzamentos.

Nas ajudas à condução ‘ativas’, para além do aviso de risco de colisão e da travagem automática de emergência, do alerta de atenção do condutor, ou do reconhecimento da sinalização e da comutação automática de luzes, o grande destaque está com o assistente de condução em autoestrada: este dispositivo de condução semiautónoma de nível 2 combina o regulador de velocidade adaptativo (com função Stop & Go) com o alerta de transposição da faixa entregando ao veículo o controlo da velocidade ou da trajetória (mantendo as mãos no volante).

A Citroen anunciou nesta apresentação que as encomendas para os novos C4 e ë-C4 abrem no final do verão (em setembro) e que as entregas começarão ainda antes do final de 2020. Mas, para falar de preços, “ainda é cedo”. O que já é certo é que até final deste ano, a Citroën ainda lançará o sexto veículo eletrificado rumo a eletrificação de toda a gama em 2025. E, quanto a mais modelos novos, o falado novo segmento D “está nos planos e vai chegar em breve”.

  • TEMAS:
  • Citroen

  • C4

  • E-c4

Veja mais