Novo Nissan Qashqai chegou ao mercado nacional e já o estreámos

SUV da marca japonesa evoluiu eletrificado para a terceira geração

O novo Nissan Qashqai acabou de chegar ao mercado nacional. O SUV da marca japonesa chegou à terceira geração evoluindo para um patamar em que a eletrificação tomou conta do modelo de grande sucesso da Nissan nesta nova fase da sua existência.

Duas gerações com dois respetivos faclifts depois, o Qashqai volta a querer dar aos seus clientes o que eles esperam deste SUV de segmento C, numa melhoria evolutiva inerente ao trabalho dos fabricantes automóveis e numa oferta da tecnologia em constante atualização, quer no campo da conetividade, quer no da mecânica.

PUB

Ao olhar para a terceira geração identifica-se o Qashqai. Com o mesmo olhar, vemo-nos perante um novo Qashqai – bem elegante. As novas formas mais afiladas de ar mais rasgado por entre arestas mais vincadas, a pintura bicolor que destaca um segundo tom em tejadilho e espelhos retrovisores, ou as luzes em desenho bumerangue por entre a união numa linha única entre frente e traseira acentuam o novo ‘look’.

O novo Nissan Qashqai está disponível em Portugal com quatro níveis de equipamentos (Acenta, N-Connecta, Tekna e Tekna+). No que respeita às motorizações, neste momento de lançamento, o C-SUV da marca japonesa deixa o Diesel e estreia nesta geração o sistema semi-híbrido em que o renovado motor a gasolina 1.3 DIG-T associado a uma bateria de 12 V oferece os níveis de potência de 140 e 158 cv, com escolha pela caixa manual de 6 velocidades ou pela automática Xtronic CVT no nível mais alto.

PUB

A renovação tecnológica passa – e muito – por estes dois momentos anteriores frisados: não só pelo renovado boco 1.3 com toda a eletrificação à sua volta e pela renovada caixa CVT para melhorar suavidade e responsividade – como bem pudemos apreciar – mas também pela variedade de uma assumida “conectividade sem limites”.

PUB

O mote português da marca para o Nissan Connected Services que integra os equipamentos de informação e conforto inteligente abre o espaço a uma variedade de serviços divididos em quatro módulos – Conectividade; Navegação e Condução; Comodidade e Conforto; e Segurança e Estado do Automóvel.

Nos três primeiros anos, o cliente do Qashqai tem direito ao pacote total de graça; depois, pode subscrever individualmente cada uma das quatro opções em particular como mais lhe convier, seja na conexão carro-casa com os assistentes Google ou Alexa, seja com informações de trânsito em tempo real, ou com controlos remotos do veículo, seja com alertas inteligentes sobre manutenção recebidos via app da marca.

PUB

Algumas destas funcionalidades distribuem-se também pelos vários níveis de equipamento do veículo adquirido sendo que desde a base no mercado nacional se conta com recursos como o regulador de velocidade inteligente, o ar condicionado dual ou as plataformas Apple CarPlay e Android Auto sem fios.

Na ida e volta que fizemos de Lisboa a Montargil pudemos testar o Qashqai nos seus dois níveis de potência, com ambas as transmissões e com os equipamentos de topo da gama. E a entrada para a nova geração fez-se repleta de qualidade. O primeiro exemplar foi o de 158 cv com caixa manual e o equipamento Tekna+.

Mais largo, de facto (+29 mm), além de concebido para proporcionar esse efeito, o habitáculo do Qashqai foi pensado para ‘reduzir o ruído visual no cockpit, que agora recebe o ecrã tátil de infoentretenimento com 9’’ no topo do tabliê. O propósito de evitar distrações durante a condução com os recursos essenciais à mão é cumprido numa envolvência interior bonita, de qualidade destacável proporcionando a sensação de que não houve uma superfície esquecida no componente adequado à sua função.

PUB
PUB

A outra sensação que também assomou cedo foi a de que ‘já tínhamos conduzido’ este Qashqai tal a facilidade com que nele ‘encaixamos’. Esta sensação, claro, é a que conjuga o conforto e espaço interiores com o comportamento do carro. Esquecendo que o apoio do braço não acompanhará todas as posições, bem definidas por um ajuste fácil mercê da regulação elétrica do banco, o Qashqai de 158 cv com caixa manual Tekna+ aceita bem uma viagem longa.

No desvio para estrada nacional, desfruta-se em pleno dos predicados anunciados pela caixa manual de uma suavidade assinalável, com respostas prontas para aplicar a potência mais do que suficiente para rodar no limiar das velocidades permitidas em cada via percorrida – pedindo uma vez ou outra ‘uma abaixo’ nas relações mais altas em baixa rotação para manter o ritmo, numa ultrapassagem mais rápida, por exemplo, num recurso de condução que favorece o prazer da mesma.

Preparado para ser ágil em curva ou passar incólume em pisos mais irregulares como um empedrado, o novo Qashqai carrega uma carroçaria 60 kg mais leve, mas também mais rígida, com reforços parciais em alumínio, e a versão equipada com jantes de 20’’ beneficia de uma configuração multi-link da suspensão traseira.

PUB

Bem encaixados – no SUV e na estrada – e isolados acusticamente, o recurso aos três programas de condução – Eco, Standard e Sport – reforçam o ‘trabalho’ de condução cuja alternância proporciona, de facto, diferenças de respostas adequadas ao modo mais temperado ou nervoso de que se necessite. Beneficiando de uma visibilidade dianteira e para trás excelente, as assistências disponíveis como o head-up display e o sistema de navegação elevam a bitola no segmento.

PUB

A Nissan anuncia consumos médios para a gama Qashqai entre os 6,3 l/100 km/h e os 6,5 l/100 km e, numa avaliação grosseira – da nossa parte –, rodámos em médias de 6,4 l/100 km. A marca japonesa destaca os maiores ganhos de combustível na versão com transmissão automática – reduzindo emissões na ordem dos 4 g/km – mas, sem olhar a poupanças, com a Xtronic voltámos a incidir no que esta caixa pode trazer de diferente.

Perdemos o purismo da mudança manual das relações em favor de uma variedade diferente de opções que – para os mesmos programas de condução – oferece uma segunda posição Drive para andamentos mais regenerativos, a par de patilhas no volante que permitem recuperar um pouco a sensação mais física do controlo dos andamentos.

PUB

Com a versão de 140 cv com o equipamento Tekna desce-se de degrau em relação ao patamar superior da gama, com as consequentes perdas ‘logicamente explicáveis’ que estão justificadas em diferenças de preços. Mas, nos princípios básicos que o novo Qashqai propõe, não se evidenciaram alterações nesta geração mais espaçosa. Mais comprido (35 mm) e com maior distância entre eixos (+19 mm), com uma abertura de portas traseiras de quase 90º, o Qashqai oferece uma capacidade de carga entre (dependendo da versão) os 436-504 e os 1.369-1.447 litros.

Preços do novo Nissan Qashqai:

  Acenta N-Connecta Tekna Tekna+
1.3 DIG-T 140 cv mHEV 6M/T 32.000 € 34.500 € 38.550 €  
1.3 DIG-T 158 cv mHEV 6M/T     39.550 € 41.700€
1.3 DIG-T 158 cv mHEV Xtronic 34.800 € 37.300 € 41.350 € 43.500 €
PUB

Excluído o Diesel e com os plug-in fora de possibilidade, a gama Nissas Qashqai tem previsto para o verão de 2022 o reforço com a versão 4x4 equipada com o sistema e-Power alimentado por um bloco 1.5 a gasolina de 3 cilindros. A acompanhar a estreia da nova geração Qashqai em Portugal há duas versões Premiere Edition disponíveis: uma de 140 cv com caxa manual por 36.100 € e uma de 158 cv com a caixa Xtronic por 38.900 €.

PUB
Continuar a ler

RELACIONADOS

Teste em estrada ao novo Renault Arkana E-Tech Hybrid

Chegou o novo Citroën C3 Aircross: já o experimentámos e sabemos os preços

Teste: Santa Fe é sinónimo de espaço, conforto e agora mais luxo

Suzuki Across em teste, quanto vale o novo híbrido da marca japonesa?

Teste em estrada ao Toyota RAV4 híbrido Plug-in com 306cv de potência

COMPUTADOR DE BORDO

Tem a certeza de que faz o transporte de crianças como deve ser?

Detetores de radar de velocidade à venda na internet. Legais ou ilegais?

Governo alega “questões técnicas”: veículos elétricos sem direito a descontos nas SCUT

VEJA MAIS

MAIS LIDAS