Vídeo: saiba o que leva a Volvo a lançar carros novos de 30 metros de altura | AUTOPORTAL
PUB

Vídeo: saiba o que leva a Volvo a lançar carros novos de 30 metros de altura

  • Redação Autoportal
Volvo testes de segurança
Volvo testes de segurança
O teste de impacto mais extremo alguma vez executado pela Volvo é crucial para as equipas de resgate

A Volvo gosta de testar a segurança dos seus veículos em situações extremas e por isso os testes de colisão convencionais são levados a um patamar mais exigente, como largar vários carros novos de uma altura de 30 metros com a ajuda de uma grua.

Parece uma decisão estranha, mas para a Volvo o objetivo é permitir aos especialistas de resgaste se preparem ainda melhor para qualquer possível cenário de acidente e simular as forças existentes nas colisões mais extremas.

Segundo a marca sueca, esta abordagem ajuda a simular adequadamente os danos encontrados nos cenários de colisão mais extremos como por exemplo: acidentes com um único automóvel a alta velocidade, acidentes em que um automóvel embate com um camião a alta velocidade ou acidentes em que um automóvel é atingido lateralmente com gravidade.

Nestas situações, é muito provável que os ocupantes do veículo estejam em estado crítico e a prioridade das equipas de resgaste passa a ser tirar as pessoas do automóvel e levá-las ao hospital o mais rapidamente possível, usando ferramentas de resgate hidráulicas.

Quanto a utilização de automóveis novos nestes testes extremos a Volvo lembra que é importante as equipas de resgate trabalharem em cenários o mais real possível.

“Normalmente, as equipas de resgate obtêm os seus veículos de teste no ferro-velho. No entanto, esses automóveis têm em média já duas décadas de idade sendo, quer em termos de resistência ao aço, da construção da ‘safety cage’ e da durabilidade em geral, muito distintos dos automóveis modernos. Torna-se por isso essencial que as equipas de resgate sejam capazes de se atualizar constantemente, revendo os seus processos e ficando a conhecer os novos modelos de modo a desenvolver novas técnicas de salvamento”, sublinhou a Volvo em comunicado.

Na realização destes testes foram utilizados 10 Volvo, de modelos diferentes. Antes da queda, os engenheiros de segurança da Volvo Cars fizeram cálculos exatos sobre a quantidade de pressão e força a que cada automóvel precisa de estar sujeito para atingir um nível de dano consequente.

  • TEMAS:
  • Volvo Cars

  • Testes

  • Colisão

Veja mais