MotoGP: as contas para o título de Márquez no Japão

  • Redação Autoportal
Marc Márquez - GP da Austrália (Lusa)
Marc Márquez - GP da Austrália (Lusa)

No sábado deste fim de semana sem MotoGP nem Fórmula 1 vimos as contas para Lewis Hamilton ser campeão do mundo. Neste domingo, vamos ver as contas de Marc Márquez para revalidar o título mundial já no próximo GP do Japão, a disputar na pista de Motegi no dia 21 – a quarta prova a contar do final do calendário que precede os GP da Austrália (Phillip Island), GP da Malásia (Sepang) e GP de Valência (Ricardo Tormo).

Com 77 pontos de vantagem sobre Andrea Dovizioso (271 contra 194), Márquez precisa «apenas» de fazer menos dois pontos do que o italiano na corrida de Motegi para assegurar a revalidação do título.

Ou seja, neste momento, faltando quatro provas até final do Mundial, há um máximo de 100 pontos em disputa para qualquer piloto – que resultarão de vitórias nas quatro corridas que faltam. Depois do GP do Japão, ficarão por disputar um máximo de 75 pontos.

É por isso que, mesmo perdendo dois pontos para Dovizioso no Japão, os 75 pontos de vantagem com que Márquez ficará a três provas do final serão o máximo que Dovizioso poderá fazer até ao fim – e recuperar para o espanhol caso o piloto da Honda não pontuasse em qualquer dessas últimas três provas. Neste último caso, ficariam empatados em pontos; e Márquez sai vencedor nos critérios de desempate.

Em caso de empate pontual, o desempate far-se-á pelo número de melhores resultados ao longo da época. Márquez já tem nesta altura sete vitórias e Dovizioso tem três. Se o espanhol da Honda perder apenas dois pontos para o italiano da Ducati no Japão, isso quer dizer que Dovizioso não venceu a corrida e, assim, o máximo de triunfos que poderá conseguir até final do Mundial serão seis vencendo as três provas que ficarão a faltar.

Ou seja, também, Dovizioso depende ainda só de si para travar a caminhada de Márquez para o título já no Japão: ganhando. Se o piloto da Ducati ganhar (25 pontos) em Motegi, não há campeão garantidamente; se Dovizioso for 2.º (20 pontos) ou 3.º (16 pontos) precisa de sê-lo à frente do espanhol para também não haver.

Se o italiano for 4.º (13 pontos) tem de esperar que Márquez não seja 5.º (11 pontos); a partir do 5.º até ao 13.º lugar em que possa terminar, Desmodovi tem de esperar sempre que o campeão do mundo termine três lugares atrás – se Dovi ficar em 14.º (2 pontos) à frente de Márquez, já não se preocupa, pois o espanhol já só terá o 15.º posto como pontuável (1 ponto).

Vamos assim ver as hipóteses de Márquez ser campeão no GP do Japão terminando atrás de Dovizioso:

Dovizioso é 4.º (13 pontos) – Márquez é 5.º (11 pontos)

Dovizioso é 5.º (11 pontos) – Márquez é 7.º (9 pontos)

Dovizioso é 6.º (10 pontos) – Márquez é 8.º (8 pontos)

Dovizioso é 7.º (9 pontos) – Márquez é 9.º (7 pontos)

Dovizioso é 8.º (8 pontos) – Márquez é 10.º (6 pontos)

Dovizioso é 9.º (7 pontos) – Márquez é 11.º (5 pontos)

Dovizioso é 10.º (6 pontos) – Márquez é 12.º (4 pontos)

Dovizioso é 11.º (5 pontos) – Márquez é 13.º (3 pontos)

Dovizioso é 12.º (4 pontos) – Márquez é 14.º (2 pontos)

Dovizioso é 13.º (3 pontos) – Márquez é15.º (1 ponto)

*Caso Márquez e Dovizioso não pontuem em Motegi, o espanhol ainda poderá ser campeão do mundo se Valentino Rossi não vencer o GP do Japão. O italiano da Yamaha tem 172 pontos (menos 99 do que Márquez) e, vencendo (com mais 25), ficaria a 74 pontos do piloto da Honda com 75 ainda possíveis nas últimas três provas.

Comentários

Veja mais