Miguel Oliveira: "Tudo parece muito estranho nesta altura"

  • Redação Autoportal
Miguel Oliveira (KTM Tech3)
Miguel Oliveira (KTM Tech3)

Miguel Oliveira realizou esta terça-feira o seu primeiro teste de pré-temporada de MotoGP. O piloto português da equipa KTM Tech3, nova formação satélite do construtor austríaco, completou 33 voltas ao circuito de Valência dando assim os primeiros passos na adaptação à categoria-rainha e à sua nova moto, numa sessão que terminou mais cedo devido à chuva.

No final deste primeiro dia de testes, Miguel Oliveira revelou a sua satisfação pela estreia na categoria máxima do motociclismo mundial e deixou claro que a sua preocupação é conhecer a nova RC16.

“Estou muito feliz por estar oficialmente no MotoGP. É óbvio que tudo parece muito estranho nesta altura. Aproveitei as voltas que realizei para tentar obter uma boa sensação dos comandos da moto como o acelerador, travão, caixa de velocidades e tentar perceber como funciona a eletrónica desta nova moto. Estamos só a começar”, sublinhou Miguel Oliveira no final do primeiro dia de testes.

A principal diferença encontrada por Miguel Oliveira na sua nova moto prende-se com a forma de curvar. "Em Moto2 deslizamos muito nas entradas de curva, o que nos ajuda mais a criar referências. Em MotoGP não deslizamos tanto ao entrar nas curvas, o que torna mais difícil confiar só na frente para virar a mota. Mas percebi que posso fazer muito mais do que aquilo que fiz", sublinhou.

O piloto português que realizou a sua melhor volta em 1m35,188s, a 3,7s de Maverick Viñales (Yamaha) que foi o mais rápido neste primeiro dia de testes para a nova temporada, desvalorizando o tempo alcançado no seu primeiro teste oficial de MotoGP. "Foi melhor do que o esperado. Foi pena não termos podido rodar mais. Esperava ter podido dar mais voltas, mas o tempo esteve instável. Obviamente, que temos muito mais controlo da mota devido ao controlo de tração eletrónico. Esperava montar pneus novos para rodar mais perto do limite, mas começou a chover e não deu. Obviamente que ainda fui bastante lento, mas acredito que estou a levar o meu tempo para perceber a mota e poder dar passos sólidos", concluiu o piloto português, que na quarta-feira voltará à pista espanhola.

VEJA TAMBÉM:

Comentários

Veja mais