Autoridades chinesas investigam possíveis práticas de fixação de preços e conluio entre empresas

  • Redação Autoportal
  • 15 ago, 09:47
China roads (Foto: A. Pasaric/Pexels)
China roads (Foto: A. Pasaric/Pexels)

Quebra no fornecimento de microchips trava produção automóvel, mas o governo chinês está a investigar atos presumivelmente ilegais

A escassez na produção e fornecimento de microchips está a colocar entraves significativos aos fabricantes de automóveis, com alguns deles a serem obrigados a reduzir a produção, como é o caso do norte-americano General Motors ou do europeu Volkswagen.

A elevada procura por este tipo de componentes, tanto para a indústria automóvel como para muitas outras indústrias, em especial junto de fabricantes chineses, tem originado nestes alguns comportamentos que levantam suspeitas junto das autoridades.

PUB
Escassez de componentes limita produção de automóveis
PUB

Não é por isso de estranhar que a Administração Estatal de Supervisão do Mercado (AESM), a entidade chinesa responsável pela regulamentação e fiscalização do mercado, esteja a investigar possíveis atos ilegais como fixação de preços, acumulação de stocks e conluio entre várias empresas e indústrias.

"Em resposta a problemas como a especulação e os preços elevados no mercado de chips para a indústria automóvel, a Administração Estatal de Supervisão do Mercado iniciou recentemente uma investigação aos distribuidores de chips de automóveis", informou a AESM em comunicado.

PUB

A escassez de microchips verifica-se já desde dezembro último e tem vindo a ter reflexos concretos na diminuição das vendas de automóveis. Na China, deu-se uma quebra de 12,6% no mês de junho, em comparação com o mês anterior, avança a agência de notícias Reuters. Para os fabricantes a atual situação é preocupante.

Falta de chips pode durar vários anos

A General Motors, por exemplo, viu-se obrigada a reduzir a produção em inúmeras das suas fábricas instaladas nos Estados Unidos e no México. O fabricante americano está a retirar algumas das funcionalidades dos seus modelos que estão dependentes de microchips, ou, em alternativa, produz os automóveis para depois os armazenar, enquanto aguarda o fornecimento daqueles componentes eletrónicos. Quando estes são entregues completa a produção e procede então ao envio para os concessionários.

PUB
Continuar a ler

RELACIONADOS

Escassez de componentes pode limitar produção de automóveis

Vendas de automóveis em queda com pior mês de julho, desde 2013

A Bosch anunciou a abertura de uma unidade de produção de chips e sensores na Alemanha

Autoeuropa com quebra de produção de 70 mil unidades desde 2020

Intel alerta que a falta de chips que afeta a produção automóvel pode durar vários anos

COMPUTADOR DE BORDO

Tem a certeza de que faz o transporte de crianças como deve ser?

Detetores de radar de velocidade à venda na internet. Legais ou ilegais?

Governo alega “questões técnicas”: veículos elétricos sem direito a descontos nas SCUT

VEJA MAIS

MAIS LIDAS