Verstappen explica reação com Ocon: “Ainda estava a rir-se”

  • Redação Autoportal
Max Verstappen (Lusa)
Max Verstappen (Lusa)

Max Verstappen explicou que a sua reação para com Esteban Ocon após o GP do Brasil de Fórmula 1 foi desencadeada pela reação do piloto francês, que não só não se desculpou como lhe respondeu com um sorriso na cara.

Várias foram também as reações após o incidente mais marcante da Corrida do passado fim de semana [como pode ver nos artigos relacionados] em relação ao comportamento em pista dos dois pilotos.

Mas o confronto físico entre ambos provocado pelo piloto holandês da Red Bull ganhou tanta ou mais dimensão no rescaldo da prova. E Verstappen explicou agora, a frio, a razão de ter empurrado Ocon quando lhe foi pedir satisfações – numa atitude que também lhe valeu um castigo.

“Eu apenas queria ir ter com ele e perguntar-lhe o que é que se passa, como pode uma coisa destas acontecer?”, contou Verstappen no programa «Peptalk» do canal holandês «Ziggo».

E foi a resposta de Ocon que, segundo relatou o piloto holandês da Red Bull, na tradução feita pelo «Motorsport.com», que o fez perder a compostura: “Ele respondeu de pronto eu estava mais rápido do que tu e ainda o disse a rir-se.”

“Eu tentei ser o mas positivo que podia com os meus mecânicos, mas é claro que este segundo lugar não é correto. E depois encontra-se alguém como ele que nem sequer pede desculpa pelo que aconteceu e reage exatamente da forma oposta”, explicitou Verstappen.

Questionado sobre um eventual ajuste de contas ainda dos tempos em que ambos rodavam na Fórmula 3 em 2014, Verstappen recusou a ideia com uma farpa: “Não e ele atualmente não compete comigo na Fórmula 1. Eu foco-me apenas nas pessoas em que tenho de focar-me e tento bater os pilotos que também têm bom material ao seu serviço.”

VEJA TAMBÉM:

GP do Brasil: Max Verstappen confronta Esteban Ocon nas boxes

Max Verstappen condenado a dois dias de trabalho comunitário

Hamilton contrapõe argumentos a Verstappen sobre o choque com Ocon

Diretor da FIA considera “decisão” de Ocon “completamente inaceitável”

Comentários

Veja mais