MotoGP está de volta com o regresso ao GP da Estíria um ano depois da vitória do Falcão

  • Redação Autoportal
  • 4 ago, 11:24

Red Bull Ring acolhe o regresso da categoria rainha às pistas e o piloto português tem boas recordações da corrida do ano passado

Nove corridas e cerca de um mês de férias depois, o MotoGP está de volta para a segunda parte da temporada de 2021, com mais nove etapas à espera. O regresso faz-se com o GP da Estíria quase um ano depois de Miguel Oliveira se estrear a ganhar uma corrida na categoria rainha neste mesmo grande prémio.

A 23 de agosto de 2020, o Falcão português ganhou a sua primeira prova no MotoGP aos comandos da KTM RC16 da equipa satélite Tech3. Na altura, Oliveira entrou para a história com uma condução brilhante e subiu ao nono lugar do Mundial com 43 pontos após aquela que foi a quinta prova da temporada de 2020 estreando o GP da Estíria no calendário profundamente condicionado pela eclosão da pandemia de covid-19.

PUB

Neste ano de 2021, o piloto português regressa à corrida da Estíria no sétimo lugar da classificação com 85 pontos e já montado na RC16 da equipa oficial da KTM – e já com uma vitória no campeonato: no GP da Catalunha. O líder do Mundial é o mesmo que era no ano passado por altura desta prova: Fabio Quartararo (em 2020 na satélite SRT; agora, com a Yamaha de fábrica).

PUB

No ano passado, as alterações de calendário colocaram o GP da Estíria como o segundo fim de semana consecutivo da passagem dupla pela Áustria tendo o Red Bull Ring como palco de ambas as corridas. Em 2021, no regresso depois das férias, será a corrida que tem o nome da região a anteceder o GP da Áustria.

Presente no Mundial de forma ininterrupta desde 2016, o rápido Red Bull Ring tem um perímetro de 4,3 km acolhendo 10 curvas (7 direitas e 3 esquerdas) e várias retas tendo a maior delas 626 metros de comprimento. Não são das maiores retas, mas são quatro dignas desse nome e a melhor volta em corrida foi feita em 1m23.827s.

PUB

Andrea Dovizioso tem essa melhor volta desde o GP da Áustria de 2019 mostrando a apetência das velozes Ducati para esta pista tendo sido também o italiano com a moto de Borgo Panigale a atingir a velocidade máxima no Red Bull Ring (no ano passado): 316,7 km/h – em qualificação, Marc Márquez conseguiu uma volta em 1m23.027s em 2019.

O circuito de Red Bull Ring em Spielberg, na região austríaca da Estíria, está talhado para as motos com mais velocidade de ponta, como já se frisou, e as Yamaha não o têm como palco favorito para a sua configuração mais equilibrada da YZR-M1. Fabio Quartararo já reconheceu isso mesmo há bem pouco, nas vésperas deste regresso do MotoGP.

PUB
Quartararo regressa motivado... e com medo de Miguel Oliveira

No GP da Estíria do ano passado, o francês foi 13.º com a Yamaha da SRT – no GP da Áustria na semana anterior tinha sido oitavo. Miguel Oliveira abandonou no primeiro fim de semana austríaco de 2020 após um choque com Pol Espargaró e, como já se referiu, estreou-se a vencer no MotoGP no fim de semana seguinte no também estreante GP da Estíria.

Quartararo regressa de férias embalado com a vitória em Assen que reforçou a sua liderança no presente Mundial, mas também Miguel Oliveira tem o embalo do aumento de performance da sua KTM associado ao seu talento merecendo o frisado respeito do francês, que não quer baixar a guarda à entrada para a dupla ronda austríaca.

Em 1996 e 1997, Álex Crivillé e Michale Doohan, respetivamente, ganharam as duas últimas corridas da pista de Spielberg já com o atual traçado, mas ainda com o nome de A1-Ring, antes do interregno que deixou a Áustria vários anos ausente do MotoGP. Em 2016, o regresso ao Mundial fez-se já com o nome de Red Bull Ring e, desde então, em cinco GP da Áustria realizados, Dovizioso ganhou quatro e Jorge Lorenzo ganhou o outro (com uma Yamaha).

PUB
PUB

A juntar a esta estatística de vencedores no Red Bull Ring, Miguel Oliveira venceu a sexta corrida da categoria no circuito austríaco no ano passado no primeiro GP da Estíria. Com estas bases lançadas, o segundo GP da Estíria de MotoGP que marca o regresso do campeonato depois das suas férias - e também o regresso de Dani Pedrosa à competição - realiza-se no próximo fim de semana de 6 a 8 de agosto (o GP da Áustria será no fim de semana de 13 a 15 deste mês).

Continuar a ler

RELACIONADOS

MotoGP: Quartararo regressa motivado… e com medo de Miguel Oliveira

Coordenador técnico associa “sucesso” da KTM ao “trabalho impressionante de Miguel Oliveira”

Raul Fernandez pode seguir as pisadas de Miguel Oliveira e estar na Tech3 em 2022

Dani Pedrosa regressa ao MotoGP ao lado de Miguel Oliveira

Miguel Oliveira: Como se treinam os pilotos entre as provas de MotoGP?

COMPUTADOR DE BORDO

Tem a certeza de que faz o transporte de crianças como deve ser?

Detetores de radar de velocidade à venda na internet. Legais ou ilegais?

Governo alega “questões técnicas”: veículos elétricos sem direito a descontos nas SCUT

VEJA MAIS

MAIS LIDAS